PJe Cor, sistema do CNJ para Corregedorias, passará a ser utilizado em 1º de junho na CGJ-RJ
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 02/06/2020 16:02

O Corregedor-Geral da Justiça, desembargador Bernardo Garcez, determinou, por meio do Provimento CGJ 41/2020, a implementação do PJe Cor — um sistema único para todas as corregedorias, disponibilizado e mantido pelo Conselho Nacional de Justiça. O PJe Cor, que será utilizado a partir do dia 1º de junho, tem por objetivo unificar e padronizar a tramitação dos procedimentos administrativos, garantindo maior eficiência, transparência e economia na atuação dos órgãos correicionais.

Nesse sistema, tramitarão os processos da Corregedoria que envolvam correições, inspeções, Processos Administrativos Disciplinares contra magistrados e servidores (PADs), sindicâncias, entre outros. Por se tratar de uma plataforma integrada ao CNJ, todos os processos, incluindo os PADs, serão imediatamente visíveis à Corregedoria Nacional.

A implementação do PJe Cor é ainda mais urgente neste momento de pandemia, que exige da administração pública agilidade na implantação de soluções de informática. Além de ser uma solução moderna, o sistema não apresenta qualquer custo ao Tribunal.

PJe Cor e SEI funcionarão de forma complementar

O PJe Cor é um sistema na mesma base do PJe Judicial, o que facilita a integração. Assim, os processos que correm em órgãos externos à Corregedoria continuarão tramitando no Sistema Eletrônico de Informações (SEI).

Em 31 de julho de 2019, a Corregedoria Geral da Justiça do Estado do Rio de Janeiro foi a primeira do país a implementar o processo administrativo eletrônico (Provimento CGJ 31/2019). Desde então, todos os processos administrativos iniciados na Corregedoria são eletrônicos, já tendo ultrapassado a marca de 25 mil processos. A Corregedoria não utiliza mais processos físicos.