Assessoria Imprensa (Dest. Foto/Texto)

Retornar para página inteira

Magistrados e autoridades prestigiam lançamento de livro do desembargador Antônio Izaías da Costa Abreu

Notícia publicada pela Assessoria de Imprensa em 2017-12-05 19:09:00.0

O lançamento do livro “O que vi e ouvi”, de autoria do desembargador Antônio Izaías da Costa Abreu, reuniu nesta terça-feira, dia 05, diversas autoridades na Biblioteca do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), na Rua Dom Manuel 37, térreo, no Centro. Magistrados, membros do Ministério Público, da Defensoria Pública, advogados e funcionários do TJRJ, entre outros, prestigiaram a tarde de autógrafos.

O autor destacou que “O que vi e ouvi” é o seu 16°livro publicado e reúne 47 crônicas de casos colhidos durante sua trajetória de mais de 40 anos como magistrado, enfatizando os momentos positivos e alegres da vida.

“Quando penso em tudo o que vi e ouvi durante o período dedicado à magistratura, me recordo dos bons momentos vividos com colegas que me provocam boas risadas. Ao optar pelo registro de passagens marcantes, decidi eternizar as fases que me causaram mais prazer”, disse o magistrado.

O desembargador Antônio Izaías da Costa Abreu agradeceu a homenagem ao ser elogiado pelos colegas como magistrado pelas diversas comarcas por onde passou no Estado do Rio de Janeiro, incluindo a Capital e Petrópolis, na Região Serrana.

“Me sinto realizado com essa publicação. Mostro no livro os aspectos sociais do relacionamento através de crônicas do Judiciário anedotizadas. Todas as crônicas destacadas no livro me marcaram”, esclarece.

Sobre o autor

Nascido em março de 1932, no município de Bom Jesus do Itabapoana, Região Norte do estado, o desembargador Antonio Izaías da Costa Abreu começou sua carreira na magistratura como juiz em Itaperuna, em 1972. Passou por várias comarcas como Santo Antonio de Pádua, Campos dos Goytacazes, Niterói e Petrópolis, até chegar ao Fórum da Capital, em 1981. Em 1985, foi convocado para o extinto Tribunal de Alçada Criminal. Em 1997 foi promovido a desembargador e, no ano seguinte, passou a presidir a 8ª Câmara Criminal. Aposentou-se, a pedido, em 2002.

Magistrado, historiador e escritor, é membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), vice-presidente da Fundação Miguel de Cervantes, vinculada à Biblioteca Nacional e membro da Comissão de Preservação da Memória Judiciária (Comemo), do Museu da Justiça - Centro Cultural do Poder Judiciário.

SV/AB

Fotos: Brunno Dantas/ TJRJ