Museu da Justiça convida para visitas mediadas e exposição que fala sobre a mulher no judiciário

A exposição Mulher Direito e Sociedade: o feminino na construção da Justiça  está aberta ao público, de segunda a sexta, das 11h às 17h, na Rua Dom Manuel, 29 ¿ Centro, nos segundo e terceiros andares dos Salões Nobre, dos Espelhos e Passos Perdidos.  O Museu da Justiça desenvolve também Oficinas Pedagógicas, com jogos interativos, para turmas de alunos dos 1º e 2º segmentos do ensino fundamental.

O Museu da Justiça convida para mais uma semana de visitas mediadas por educadores ao Antigo Palácio da Justiça, nestas terça, dia 13 (às 14h) e quarta, dia 14 (às 11h e às 14h). Na ocasião, os interessados irão conhecer aspectos históricos e arquitetônicos do antigo prédio e da Justiça fluminense, e a recém-inaugurada exposição "Mulher, Direito e Sociedade: o feminino na construção da Justiça". O agendamento dos passeios pode ser feito pelos telefones (021) 3133-3532/3497 ou pelo e-mail exposicoes@tjrj.jus.br.Os eventos têm entrada grátis.

Além das tradicionais visitas mediadas, o Museu da Justiça desenvolve também outras atividades, sendo uma delas a de Oficinas Pedagógicas para turmas de estudantes de primeiro e segundo segmentos do ensino fundamental. Nelas, a criançada, entre sete e 11 anos, percorre os espaços históricos e conhece, de forma educativa e divertida, por meio de brincadeiras com jogos interativos (caça-palavras, jogo da memória e outros), um pouco do Direito, da mitologia grega relacionada à Justiça e do próprio Poder Judiciário.

Exposição

A exposição "Mulher, Direito e Sociedade: o feminino na construção da Justiça" foi inaugurada no último dia 7 e tem como objetivo apresentar uma perspectiva histórica sobre as questões de gênero em nossa sociedade, principalmente a relação entre as conquistas de direitos efetuadas pelas mulheres e a incorporação dessas transformações na visão e no funcionamento do Poder Judiciário. A mostra está aberta ao público na Rua Dom Manuel, 29 ¿ Centro, nos 2º e 3º andares do Antigo Palácio da Justiça. O horário de funcionamento é de segunda a sexta, das 11h às 17h, com entrada gratuita e pode ser vista individualmente ou durante as visitações mediadas.
A mostra é composta de 62 painéis e está dividida em dois núcleos: o das batalhas empreendidas pelas mulheres na conquista de espaços ao longo da história e o de crimes de repercussão estadual e nacional, com julgamentos ocorridos no Tribunal do Júri, dentro do antigo prédio, como os casos Aída Cury, Claudia Lessin Rodrigues e Daniela Perez.

Os visitantes poderão conhecer também uma pequena exposição sobre as magistradas pioneiras do TJRJ, entre elas a presidente do Tribunal, desembargadora Leila Mariano, por meio de objetos, fotografias e documentos significativos da atuação e da memória de cada uma delas. Entre as mulheres pioneiras no âmbito do Poder Judiciário estão: as desembargadoras Áurea Pimentel Pereira, Maria Stella Villela Souto Lopes Rodrigues, Mariana Pereira Nunes Feteira, Nilza Bitar, Maria Collares Felipe da Conceição, Maria Inês da Penha Gaspar e Anna Maria Barbalat.

O Museu da Justiça é uma unidade vinculada à Diretoria Geral de Comunicação Institucional (DGCOM), do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro.