TJRJ e Museu Nacional firmam protocolo para intercâmbio técnico, científico e cultural
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 06/12/2018 19:13

 

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), desembargador Milton Fernandes de Souza, assinou, na tarde dessa quinta-feira, dia 6, protocolo de intenções com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), por intermédio do Museu Nacional. O acordo visa ao desenvolvimento de projetos e atividades voltadas para aprimoramento a ampliação dos serviços de conservação e restauro de documentos e objetos de valor histórico.

O TJRJ também cederá espaços para realização de exposições e atividades culturais. Além disso, o protocolo de intenções prevê a capacitação de profissionais do Poder Judiciário fluminense nas atividades de conservação do patrimônio.

Na oportunidade, o presidente Milton Fernandes e o diretor do Museu Nacional, Alexander Kellner, relembraram protocolo de intenções assinado pelas instituições e pela Secretaria de Patrimônio da União (SPU), em outubro. O acordo garantiu ao museu verbas do Fundo de Penas Pecuniárias do TJRJ, além de doação de mobiliário. Em contrapartida, a SPU cederá ao tribunal uma área de 10 mil m², que abrigará o Centro de Transporte do TJRJ, onde será instalado o Departamento de Transporte, da Diretoria Geral de Logística (DGLOG). 

O presidente do TJ destacou que a parceria beneficia ambas instituições, já que o tribunal ajudará na reconstrução do Museu Nacional, e, ao mesmo tempo, terá uma economia de locação mensal de cerca de R$50 mil, devido ao terreno recebido. “É no momento de crise que a criação surge. Não adianta lamentar eternamente a tragédia, temos que procurar soluções. E, através dessa parceria, ambos terão vantagens e isso se reverte, também, em benefícios para a população”, disse.

Kellner destacou a parceria com o Judiciário fluminense como essencial para a recuperação do Museu. “Nós estamos muito agradecidos e felizes com a sensibilidade do TJ. A iniciativa representa um dos primeiros passos concretos para a reconstrução do Museu após a tragédia. Nesse terreno, que iremos dividir com o TJ, pretendemos construir os novos prédios, incluindo o Centro Educacional, que trará novamente as crianças ao museu”, disse.

Também participaram do encontro o juiz auxiliar da Presidência Marcello Rubioli e o diretor da DGLOG, Francisco Budal.

Foto: Brunno Dantas

MG/JM

 

Galeria de Imagens