Novos servidores são nomeados no TJRJ
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 24/04/2019 16:22

Quando fez a prova do concurso para psicóloga do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ), em 2014, Bruna Voight, de 35 anos, nem sabia que, em breve, sua vida mudaria bastante. Ela já estava grávida do pequeno Carlos Eduardo, que, hoje, com três anos e meio, compareceu para ver a mãe receber a nomeação como servidora do Judiciário durante cerimônia realizada nesta quarta-feira (24/4). O sonho de trabalhar no TJRJ surgiu após atuar como estagiária na Vara da Infância e da Juventude da capital.

- A experiência me fez querer trabalhar nisso. É a realização de um sonho estar aqui, foi uma dedicação total - afirmou Bruna, que foi aprovada em 2º lugar para a 3ª Região e trouxe ainda o marido, os pais e a sogra para acompanhá-la no grande dia, quando chorou de emoção pela conquista. Devido à nomeação, ela vai se mudar para a Região Serrana do estado, para onde foi aprovada.

A pequena Catarina, de apenas três meses, participou também do dia especial na vida da mãe. Para ser aprovada como técnico de atividade judiciária, seu primeiro cargo público, Karoline Seabra, de 26 anos, estudava para o concurso todo dia de meia-noite às 4h da manhã, fazia faculdade de Direito à noite e estágio à tarde. Agora, a moradora de Padre Miguel vai atuar no Juizado de Violência Doméstica e Familiar de Bangu, próximo à sua casa. “Gosto muito de matéria criminal e ainda não tive contato com esta área”, afirmou a nova servidora, que ainda era solteira quando fez a prova e hoje compareceu com a filha e o marido.

O ex-aeroviário Paulo César Martins Júnior, de 35 anos, resolveu estudar para concurso após ficar desempregado. Durante cerca de um ano, se dedicou aos livros em busca de estabilidade. Foram oito horas de estudos diários até ser aprovado para técnico de atividade judiciária. “Graças a Deus, consegui ter a sonhada estabilidade”, disse o novo servidor do 4º Juizado Especial Cível (JEC), no Centro, que também levou a família para compartilhar este momento.

Mateus Gonçalves, de 29 anos, ex-comissário de justiça do TJRJ, terminou a faculdade e resolveu correr atrás de conquistar um cargo público. Foi analista da Defensoria Pública, trabalhou como comissário no Judiciário e, agora, atuará como oficial de justiça no Fórum do Méier. “Assim, terei maior flexibilidade de horário e poderei conciliar com o sonho de lecionar”, afirmou o futuro professor, que pensa ainda em se tornar defensor público mais para a frente.

Maria José Dias, de 81 anos, chegou cansada, com dificuldade, ao auditório Antonio Carlos Amorim, onde foi realizado o evento, mas não deixou de participar deste momento importante na vida da neta, Flávia Esteves, de 30 anos. Formada em Direito, Flávia pediu exoneração do cargo que tinha na Defensoria Pública para se tornar servidora do Judiciário. Aos que ainda estão na luta por um cargo público, ela dá um recado:

- Estuda que é possível. No final, vale muito a pena.

O presidente do Tribunal de Justiça do Rio, Claudio de Mello Tavares, parabenizou os recém-chegados e destacou que o Judiciário fluminense teve uma carência de cerca de 580 servidores que se aposentaram devido à nova reforma da previdência.

- Vocês passaram em um concurso dificílimo. Nenhum juiz consegue ter sua prestação jurisdicional se não houver uma equipe de serventuários comprometidos. Hoje, chegam 127 novos servidores. Damos o primeiro passo para resolver este déficit - afirmou, destacando que o TJRJ é o tribunal mais produtivo do país e que há, atualmente, cerca de 12 milhões de desempregados, citando dados do IBGE.

O presidente entregou simbolicamente a portaria de nomeação ao técnico de atividade judiciária Lucas Ramos Alentejo, 210º colocado da 1ª Região, e à analista judiciária Mariana Guerini de Mello, 26ª posição na 1ª Região. Representantes da Diretoria-Geral da Gestão de Pessoas e juízes auxiliares da Corregedoria fizeram e entrega dos documentos de nomeação e de lotação aos demais servidores.

Nomeação após suspensão de prazo

Estiveram presentes na cerimônia o 1ª vice-presidente, desembargador Reinaldo Pinto Alberto Filho; os juízes auxiliares da Presidência Luiz Umpierre de Mello Serra, Leandro Loyola e Marcelo Rubioli, além do diretor-geral de Gestão de Pessoas, Gabriel Albuquerque.

Foram nomeados hoje técnicos de atividade judiciária e analistas judiciários nas especialidades de execução de mandados, psicólogo, assistente social e comissário de justiça da Infância, da Juventude e do Idoso.

A nomeação dos servidores, de concursos realizados em 2014, foi possível porque, segundo Ato Normativo nº 08/2016, foi suspensa a contagem do prazo e validade dos concursos públicos realizados e homologados pelo Poder Judiciário do Estado antes do início da vigência da Lei Estadual nº 7.483, de 8 de novembro de 2016, que reconheceu o estado de calamidade pública no âmbito da administração financeira.

SP/SD

Fotos: Brunno Dantas/TJRJ

Galeria de Imagens