Presidente do TJRJ recebe medalha Pedro Ernesto
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 06/06/2019 21:18

                                                                                              O vereador Dr. Carlos Eduardo condecora o presidente do TJRJ 

 

Na presença de autoridades, amigos, familiares e servidores do Judiciário fluminense, o presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, desembargador Claudio de Mello Tavares, recebeu, na noite desta quinta-feira (6/6), em solenidade realizada na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, o conjunto de Medalhas Pedro Ernesto, maior comenda da Cidade. A homenagem foi prestada pelo vereador Dr. Carlos Eduardo.

O presidente da Casa Legislativa, vereador Jorge Felipe, e o vereador Dr. Carlos Eduardo deram as boas-vindas ao presidente do TJRJ na mesa de abertura da cerimônia, composta pelo presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Carlos Santos Oliveira; deputado Carlos Caiado, representando o presidente da Alerj; subprocurador-geral da República, Alcides Martins; procurador-geral do Estado do Rio de Janeiro, Marcelo Lopes da Silva; e procurador-geral do Município do Rio, Marcelo Silva Moreira Marques.

Ao agradecer a honraria, o desembargador Claudio Tavares, citou um trecho da música “Emoções”, de Roberto Carlos, apresentada na abertura da cerimônia pelo Coral da Câmara.

- Quando eu estou aqui eu vivo esse momento lindo -, disse o presidente do TJRJ no início de seu discurso, no qual exaltou a figura do prefeito Pedro Ernesto, que dá nome a medalha, e a do Papa Francisco.

 

                                                                 A mesa solene teve a participação de autoridades da Câmara, da Alerj e do Judiciário 

 

O desembargador lembrou que a homenagem estava sendo prestada não apenas ao presidente, mas a todo o tribunal. Em discurso, ele destacou a importância dos sonhos e da esperança como caminho para as conquistas da sociedade quando devidamente dosados.

- Afinal, o que representam os sonhos, as aspirações e as esperanças senão projeções otimistas sobre o futuro? Nesse sentido, podemos e devemos crer em uma sociedade mais justa; em que a liberdade seja fruto da conquista e permeie a atividade humana; em que o Estado Democrático de Direito seja a construção sólida fundada no alicerce da segurança jurídica – disse.

Claudio de Mello Tavares chamou a atenção para a necessidade da sociedade de uma magistratura consciente de sua missão, que faça do direito instrumento de transformação social, “disposta ao sacrifício, pronta a solucionar problemas”.

- Façamos deste ato solene um pretexto para espalharmos o bem, inspirados pelo exemplo do prefeito Pedro Ernesto, porquanto a justiça, como valor supremo, deve ser cultuada. Somos meros partícipes desta missão tão elevada – concluiu.