Garçons agradecem ao presidente medidas contra atraso em seus salários
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 12/07/2019 17:29

Mais uma empresa teve o contrato rescindido pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro por atraso de pagamento a terceirizados: a Ambiental Service, responsável por 105 postos de trabalho entre garçons, copeiras e supervisores. Como havia feito anteriormente com a Laquix, que perdeu nove contratos com o Judiciário, o presidente do TJRJ, desembargador Claudio de Mello Tavares, determinou o pagamento imediato dos funcionários e a rescisão do contrato. Seguindo a lei das licitações, a segunda empresa colocada foi chamada para assumir o lugar da Ambiental. Por isso, nesta sexta-feira (12/7), um grupo de garçons foi ao gabinete da presidência agradecer ao desembargador pelas medidas tomadas:

- Viemos agradecer em nome de todos. Nunca vimos um presidente que tomasse uma atitude assim. Não estávamos recebendo o pagamento devido e ele agiu rápido a nosso favor. Só temos a agradecer – disse Jorge Tatu.

O desembargador Claudio de Mello Tavares ficou emocionado com a atitude dos garçons e voltou a dizer que considera um absurdo uma empresa lesar pessoas que trabalham e dependem de seus salários.

Em maio, em reunião com os garçons, ele já tinha deixado claro que não admitiria um novo atraso de pagamento:

- Essa é a segunda vez que a empresa atrasa o pagamento de vocês. Não haverá uma terceira. Vocês são trabalhadores, são chefes de família e não podem ficar sem receber o salário. Isso não pode acontecer em nenhum lugar, muito menos aqui em nossa Casa, no Poder Judiciário - disse o presidente.

Como houve novo atraso, o contrato com a Ambiental Service foi rescindido.

SD

Fotos: Brunno Dantas