TJRJ, Senac RJ e Sesc RJ se unem no combate à violência doméstica
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 09/08/2019 20:37
O programa Mãos Empenhadas Contra a Violência, que será lançado em 12 de agosto, visa criar uma rede de profissionais de beleza que irão apoiar na conscientização e no esclarecimento às vítimas

No mês em que a Lei Maria da Penha completa 13 anos, o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, o Senac RJ e o Sesc RJ se unem em parceria, nesta segunda-feira (12/8), para a realização do programa Mãos Empenhadas contra a Violência. A iniciativa visa criar uma rede de profissionais de beleza para apoiar na conscientização e no esclarecimento às vítimas de violência doméstica. Trata-se de uma ação preventiva para ampliar e fortalecer a rede de enfrentamento a esse tipo de violência, dando visibilidade às questões de gênero. O lançamento do programa será às 10h, no auditório da sede do Senac RJ e do Sesc RJ (Rua Marquês de Abrantes 99, Flamengo).

No piloto do programa, especialistas da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Coem RJ) irão realizar, a partir do dia 19 de agosto, a capacitação de cerca de 120 instrutores de Beleza das unidades do Senac RJ na Região Metropolitana do Rio de Janeiro para atuarem como multiplicadores junto aos alunos dos cursos da instituição.

A intenção é que os futuros profissionais de beleza desenvolvam competências de escuta e apoio nas temáticas relativas à violência de gênero e possam contribuir para o combate à violência, identificando e orientando as clientes com base na Lei Maria da Penha. A estimativa é que, até 2020, sejam impactados cerca de 2000 alunos de Cabeleireiro, Maquiador, Depilação, Manicure e Técnico em Estética da instituição.

Além disso, o Sesc RJ irá complementar o curso com palestras, debates, oficinas, esquetes teatrais e curtas sobre temas ligados a feminicídio e violência doméstica.

O Mãos Empenhadas contra a Violência foi desenvolvido pelo Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul e será replicado pelo TJRJ no estado. Para isso, além do Senac RJ, do Sesc RJ e da Coem RJ, também são parceiros o Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (Cedim RJ) e o Sindicato dos Institutos de Beleza e Cabeleireiros de Senhoras do Rio de Janeiro (Sinbel). O projeto é mais uma das ações integradas ao Justiça pela Paz em Casa, que segue com atividades até o dia 31de agosto.

 

Serviço:

Lançamento do programa “Mãos Empenhadas Contra a Violência”

12 de agosto de 2019

10h

Auditório da Sede do Senac RJ e do Sesc RJ

(Rua Marquês de Abrantes, 99 – Flamengo)

 

Ônibus Violeta visita Três Rios

Na terça-feira (7/8), a principal praça do Município de Três Rios, no Vale do Paraíba, foi transformada numa central de atendimento, orientação jurídica e atividades diferenciadas para as mulheres. Em comemoração aos 13 anos de criação da Lei Maria da Penha, o Juizado Especial de Violência Doméstica e Familiar da cidade organizou, junto com 38º Batalhão da Polícia Militar, mais uma edição do Programa Flor de Lótus.

O Ônibus Violeta, do Tribunal de Justiça do Rio, que realiza audiências e presta às mulheres assistência jurídica e psicológica, ficou estacionado na praça. A Polícia Civil também apoiou o evento e disponibilizou agentes para o registro de ocorrências. Workshops sobre saúde e planejamento familiar foram organizados para despertar a conscientização da população.

A juíza Elen de Freitas Barbosa, titular do Juizado de Violência Doméstica, destacou que o objetivo do evento foi alertar à população de que as vítimas de violência podem contar com a justiça.

- Nossa intenção é mostras que as mulheres vítimas de violência têm uma rede de apoio, que elas podem contar com esta rede, que elas não estão sozinhas e que existem saídas, alternativas.

 

Atividades até o fim do mês

Além do Mãos Empenhadas contra a Violência, outras ações também marcarão o aniversário da Lei Maria da Penha no Judiciário fluminense.

Nos dias 12, 16 e 19, será realizada a 2ª turma do curso de capacitação sobre a lei voltado para oficiais de justiça, tendo como instrutora a juíza Luciana Fiala de Siqueira Carvalho, membro da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Coem).

No dia 16, será a vez de o Projeto Violeta – que busca acelerar o acesso à justiça das vítimas que estão em situação de risco - ser implementado no VII Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, na Barra da Tijuca.

Pelo Violeta, todo o trâmite (a vítima registra o caso na delegacia, que o encaminha de imediato para a apreciação do juiz) deve ser concluído em cerca de quatro horas. Assim, a mulher, após ser orientada por uma equipe multidisciplinar, já sai com uma decisão judicial em mãos. Em 2018, a vara regional da Barra da Tijuca recebeu 4.463 novos procedimentos de violência doméstica.

O Museu da Justiça – Centro Cultural do Poder Judiciário, localizado Rua Dom Manuel, 29, térreo, Centro, também vai sediar eventos ligados à violência doméstica. Confira abaixo a programação:

 

Data: 20/08, terça-feira

Roda de conversa com mulheres acolhidas pelo Centro Integrado de Atendimento à Mulher – CIAM Márcia Lyra, com a juíza Adriana Ramos

de Mello e a psicóloga Maria Augusta Fischer

Local: Sala Multiuso / Horário: 19h

Lotação: 30 pessoas / Distribuição de senhas: 18h30min

Duração: 60 minutos

 

Data: 21/08, quarta-feira

Exibição do 5º episódio da série O futuro é feminino e debate com as jornalistas Barbara Bárcia, Claudia Alves e Fernanda Prestes

Local: Sala Multiuso /Horário: 19h

Lotação: 60 lugares / Distribuição de senhas: 18h30min

Duração: 90 minutos

 

Data: 22/08, quinta-feira

Painel sobre Violência Doméstica com a Juíza Maria Daniela Binato de Castro e com a jornalista Elenilce Bottari

Local: Sala Multiuso /Horário: 19h

Lotação: 60 lugares /Distribuição de senhas: 18h30min

Duração: 90 minutos

 

Data: 19 a 31 de agosto, de segunda a sábado

Mostra de documentos dos autos processuais de julgamento do assassinato de Ângela Diniz

Local: Salas Cenográficas 307 e 309 - 3º andar

Horário: 11h a 19h

 

Data: 19 de agosto a 31 de outubro, de segunda a sábado

Exposição Nunca me Calarei, com painéis do artista Marcio Freitas. A série fotográfica apresenta rostos de mulheres de todas as partes do

Brasil que sofreram algum tipo de assédio, tentativa ou abuso sexual.

Local: Salão dos Passos Perdidos / Horário: 11h a 19h

(segunda a sexta) | 13h a 17h (sábados)