Seminário inter-religioso debate Justiça, Paz e Liberdade Religiosa
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 04/09/2019 17:52

Nós aprendemos a voar como os pássaros e a nadar como os peixes, mas não aprendemos a conviver como irmãos. A frase do ativista e líder de movimento negro Martin Luther King foi citada pela defensora pública Adriana Horta na abertura do I Seminário Inter-Religioso Justiça, Paz e Liberdade Religiosa, que debateu o reconhecimento e o respeito às diferentes crenças. O evento, promovido pela Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (Emerj) em parceria da OAB-RJ, aconteceu na sexta-feira (30/08) e foi coordenado pela defensora Adriana Horta e pela presidente da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR) da OAB-RJ, Guiomar Mairovitch.

- A justiça é o sentimento mais amplo, mais nobre. A justiça deve imperar em todas as relações humanas, mesmo onde haja conflito, inclusive em relações religiosas – disse Adriana Horta.

A presidente da CCIR, Guiomar Mairovitch, chamou a atenção da plateia para a importância do evento. Segundo ela, a liberdade religiosa é tema que embora remeta diretamente a um direito constitucional, resultou, ao longo dos séculos, na morte de muitas pessoas.

Também participante da mesa de debates, Gilbert Stivanello, titular da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (DECRADI), reafirmou o papel da educação para o fim da discriminação da fé.

- Nem tudo se resolve com a polícia. É importante a inserção da educação nesse trabalho. Muitas vezes, o preconceito (religioso) decorre do medo que vem do desconhecimento. Quando você entende a realidade do próximo, você estende a mão a ele.

Também participaram do evento, o desembargador Marcelo Anátocles, o defensor público-geral do Estado do Rio de Janeiro, Rodrigo Pacheco; o juiz Haroldo Dutra Dias (TJMG), representando os espíritas; o diácono Nelson Augusto dos Santos Águia, representante da Igreja Católica; o advogado Gilberto Garcia, presidente da Comissão de Liberdade Religiosa do Instituto dos Advogados Brasileiros(IAB); o rabino Dario Bialer, representante da Comunidade Judaica; o professor Pedro Paulo do Amaral, membro do Conselho Consultivo e Professor de Budismo pela BSGI; o babalaô Ivanir dos Santos; e Sheikh Jihad Hammadeh, representante da Comunidade Islâmica do Brasil, além de diversos magistrados, servidores e advogados e o público em geral.

 

GM/ FS (supervisão)