Nota de Solidariedade do Sinterj
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 09/09/2019 19:59

O Sinterj - Sindicato dos Titulares de Serventias, Ofícios de Justiça e Similares do Estado do Rio de Janeiro e sua Diretoria, no uso de suas atribuições e, neste ato, representado por seu Presidente Sidney Marcello, torna pública a Nota de Solidariedade ao Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), desembargador Claudio de Mello Tavares, no que tange à bem lançada liminar proferida pelo magistrado, no sentido de ter sido aviltado o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), em razão da venda na Bienal de livros não recomendados para pessoas de comportamento familiar tradicional, onde ficamos à mercê da liberdade de expressão, tendo em vista que o pátrio poder está totalmente atingido e os pais estão perdendo o condão da educação dos seus filhos.

Vamos admitir que até fosse vendido na Bienal, entretanto, por obrigação e dever, deveriam ser anunciadas com cartaz cenas não recomendadas para menores impúberes sem que os pais soubessem o seu teor.

Em nosso entender, a liberdade de expressão deve ter limites, não só através desses livros, bem como para a mídia em geral.

Nunca é demais salientar que o nosso Presidente do Tribunal sabiamente esclareceu que não estava fazendo apologia à censura e, simplesmente, queria alertar aos pais sobre o conteúdo dos livros que estavam sendo vendidos.

Parabéns, presidente, Vossa Excelência preservou a família que, infelizmente, é a todo momento aviltada e, segundo também entendemos, para que mais serve o ECA?

Era o que nos cumpria afirmar e, mais uma vez, hipotecando solidariedade irrestrita ao nosso Presidente do Tribunal, que nos orgulhou com essa decisão.

O Sinterj sempre presente!

A Diretoria