Combate à violência doméstica: Cejuvida já realizou mais de 1,4 mil atendimentos neste ano
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 14/11/2019 19:46

Criada em 2010 com o objetivo de garantir o encaminhamento seguro e célere de mulheres vítimas de violência doméstica e de seus filhos menores às casas-abrigo após o expediente forense, nos fins de semana e feriados, a Central de Acolhimento da Mulher Vítima de Violência Doméstica (Cejuvida) realizou, neste ano, mais de 1,4 mil atendimentos.

O serviço, ferramenta fundamental de apoio à mulher vítima de violência, mostra pelos seus próprios números que cada vez mais mulheres procuram este elo na rede de proteção. Se em 2013 foram 154 atendimentos, em 2018 o número saltou para 1.584. E de janeiro a setembro deste ano já foram realizados 1.486 atendimentos.

Na unidade de acolhimento temporário que funciona integrada ao Plantão Judiciário há uma equipe composta por servidores formados em Psicologia e Assistência Social com experiência em violência doméstica. Dois motoristas munidos de radiotransmissor e carros do Tribunal de Justiça do Rio também fazem parte também da equipe de apoio.

Em caso de necessidade, podem, inclusive, buscar a vítima na delegacia caso esteja localizada a uma distância de até 150km do Plantão Judiciário da Capital.

- A central presta um serviço de extrema importância para o enfrentamento da violência contra a mulher, disponibilizando fora do horário do expediente forense acolhimento humanizado e reservado às vítimas e seus dependentes – afirmou a juíza Katerine Nygaard, da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Coem).

A Cejuvida foi criada pelo Ato Executivo nº 2610/2010 da Presidência do TJRJ.

 

SERVIÇO:

CEJUVIDA

Plantão Judiciário - Rua Dom Manoel, s/nº

Horário de Funcionamento: 18h a 11h do dia seguinte, finais de semana e feriados

Tel. 21 3133-3894 / 21 3133-4144