Cartilha orienta vítimas de violência doméstica durante a pandemia
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 04/05/2020 18:46

O distanciamento social decorrente da pandemia do novo coronavírus não deve impedir o enfrentamento da violência familiar e doméstica contra a mulher. Para orientar as vítimas de agressão e maus-tratos durante o período da quarentena, a Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (Emerj) lança a cartilha “Covid-19: confinamento sem violência”.

A publicação traz as principais informações para que a mulher possa se proteger e buscar ajuda em casos de violência de gênero, principalmente durante o período de distanciamento social, quando as ruas ficam mais vazias e as vítimas possuem menos contato com demais familiares e amigos.

Ao longo de 24 páginas, é possível conhecer os tipos de violência doméstica (física, psicológica, sexual, patrimonial e moral). A cartilha também explica a função dos juizados de violência doméstica e familiar contra a mulher e traça um plano de segurança para a vítima utilizar em situações de emergência. Além disso, disponibiliza os telefones e e-mails de toda a Rede de Enfrentamento à Violência contra a Mulher.

A publicação é uma iniciativa do Núcleo de Pesquisa em Gênero, Raça e Etnia da Emerj (Nupegre) e segue as orientações da Organização das Nações Unidas (ONU). Para a juíza Adriana Ramos de Mello, presidente do NUPEGRE, idealizadora da cartilha e professora da Emerj, disseminar a informação é um caminho para coibir a violência contra a mulher.

- Esta é uma cartilha completa, que passa para as mulheres todas as informações de onde e de como fazer a denúncia de violência doméstica, e também de como procurar ajuda neste momento. A EMERJ coloca à disposição das mulheres mais um importante canal de informação, de prestação de serviço -  considera a magistrada.

Veja a cartilha:

https://www.emerj.tjrj.jus.br/publicacoes/cartilhas/violencia-domestica/versao-digital/index.html

 

MG/FS