EMERJ lança audiodrama em forma de podcast com magistrados e artistas no elenco
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 04/11/2020 18:46

Um audiodrama gravado on-line, cujos atores contracenam via internet. Este é o “novo normal” capaz de transformar uma história ocorrida nos Estados Unidos, em 1925, que já virou peça e filme, num podcast com pegada de radionovela do século 21. Assim é “O direito de pensar – uma viagem radiofônica ao julgamento do macaco”, podcast com seis episódios de duração em torno de 50 minutos cada, projeto artístico da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro. Os episódios serão publicados sempre às quintas-feiras, no site da EMERJ (www.emerj.tjrj.jus.br), ficando disponíveis em diversos agregadores de podcast.

O lançamento é neste dia 5 de novembro – Dia Nacional da Cultura –, e o último episódio irá ao ar no dia 10 de dezembro – Dia Internacional dos Direitos Humanos.

No elenco, magistrados do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, advogados e atores. A trilha sonora está a cargo do desembargador e músico Wagner Cinelli, e conta com a participação especial do Coral do Centro Tecnológico da UFRJ.  Durante oito meses, o grupo encontrou-se via internet, cada um em sua casa, na frente de computadores, celulares e tablets. Assim aconteceram as reuniões de dramaturgia e os encontros com os integrantes de cada área – artística, técnica e produção –; assim como os ensaios e as gravações dos episódios.

A idealizadora do projeto é a diretora teatral e servidora da justiça Sílvia Monte, que reuniu o grupo de magistrados e advogados com quem já realizara alguns espetáculos sob forma de leitura dramatizada – “Os físicos”, de Friedrich Dürrenmatt; “Antígona”, de Sófocles; “12 jurados e uma sentença”, de Reginald Rose –, para a criação de um evento artístico durante o isolamento social. Juntos, começaram a pensar sobre um texto que englobasse temas como liberdade de pensamento e expressão, ciência e religião – assuntos que estão na pauta do dia no Brasil e no mundo.

Foi assim que surgiu a ideia de resgatar o emblemático processo do professor de ciências John Thomas Scopes, julgado por ensinar a Teoria da Evolução de Charles Darwin a estudantes da oitava série numa escola pública em Dayton, no estado americano do Tennessee, em 1925. O caso, que ficou conhecido como “Julgamento do macaco”, é bastante familiar ao meio do Direito e tornou-se muito conhecido do público quando foi eternizado pelos autores estadunidenses Jerome Lawrence e Robert E. Lee na peça “Inherit he Wind” (1955), posteriormente adaptada para o cinema. 

 

Webinar

No dia 17 de novembro, o Fórum Permanente de Mídia e Liberdade de Expressão, presidido pelo diretor-geral da EMERJ desembargador André Gustavo Corrêa de Andrade, em sua 24ª reunião, fará um webinar para falar sobre lançamento do podcast “O Direito de Pensar – Uma viagem radiofônica ao julgamento do macaco”.

Na abertura do encontro online, o Des. André Gustavo Corrêa de Andrade, integrante do elenco do audiodrama no papel de um filósofo, antropólogo e escritor, falará sobre a relevância desta pioneira realização cultural da EMERJ e o seu significado alegórico para o debate sobre a liberdade de expressão. 

Três dos convidados desse encontro estão envolvidos diretamente com a realização do podcast: a funcionária pública do TJRJ e diretora teatral Silvia Monte – idealizadora, autora e produtora –; o advogado e desembargador aposentado Geraldo Prado, integrante do elenco como o jornalista H. L. Mencken; o Juiz de Direito Renato Lima Charnaux Sertã, no elenco como o célebre advogado Clarence Darrow, tendo participado de todo o processo de criação, desde a primeira reunião do grupo, em maio deste ano. Completa o grupo,  o ilustre advogado e escritor José Roberto de Castro Neves,  que falará sobre o entrelaçamento entre direito e arte.  

As inscrições são gratuitas em https://www.emerj.tjrj.jus.br/paginas/eventos/eventos2020/webinar/o-direito-de-pensar-uma-viagem-radiofonica-ao-julgamento-ao-macaco.html

 

Elenco

[Magistrados – desembargadores e juízes do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro – advogados e atores convidados]

 

MAGISTRADOS E ADVOGADOS

Desembargadora ANA MARIA PEREIRA DE OLIVEIRA – Dra. Daisy Stewart, Promotora de Dayton

Desembargador aposentado ANTÔNIO CARLOS ESTEVES TORRES – Prefeito Gary Randolph

Juíza de Direito ELIZABETH LOURO – Glenda Easterbrook, repórter da rádio WGN Atlanta

Advogado e desembargador aposentado GERALDO PRADO –  Henry Louis Mencken, jornalista e comentarista da radio WGN de Baltimore 

Desembargador JOSÉ MUIÑOS PIÑEIRO FILHO – Professor Walter White, Professor Oliver Barclay, Dr. Horatio Hackett Newman e “Chimp Tony

Juiz de Direito RENATO CHARNAUX SERTÃ – Clarence Darrow, advogado de defesa.

Juiz de Direito RICARDO ANDRADE – John Carter, repórter da WGN Atlanta

Desembargador aposentado e advogado RONALD VALLADARES – Juiz John Rauston

 

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL

Diretor-Geral da EMERJ Desembargador ANDRÉ GUSTAVO CORRÊA DE ANDRADE como Fay Cooper Cole, filósofo, antropólogo e escritor

 

ATORES CONVIDADOS

ADRIANA SEIFFERT – Professora Anna Smith, Secretaria do Conselho Escolar e professora da Escola Municipal de Dayton; Cidadã de Dayton

ANTONIO ALVES – Locutor da Rádio WGN Atlanta; Assessor do Prefeito; Reverendo Cartwright; Isaiah; Jim Riley; Sr. Bernstein; Cidadão 

DANIEL FERRÃO – Professor John Thomas Scopes; Meirinho; R. L. Gentry; Paul McKenzie; Cidadão; Martin Jackson

DULCE PENNA – Caroline Smith; locutora da Rádio WGN Atlanta; Sra. Mildred Kramer, Vice Presidente da Liga das Senhoras e Diretora do Coral Cristão de Dayton;  e Samantha Boneyard, jornalista da Gazeta de Cristo 

JOSÉ HENRIQUE MOREIRA – Deputado John Butler; J. P. Massingill; Dr. Maynard Metcalf

LUCAS DRUMMOND – Howard Morgan; vendedor de picolé, jornalista da Vox News

LUCAS GOUVÊA – Jerome Lee, âncora do “WGN Manhã”, da rádio WGN Atlanta

NEDIRA CAMPOS – Sra. Roselyn Christie, Presidente da Liga das Senhoras de Dayton

RICARDO LEITE LOPES – Dave Sinclair, âncora do “Encontros com a Cultura na WGN”, da rádio WGN Atlanta

ROGÉRIO FREITAS – William Jennigs Bryan, advogado da acusação

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: CORAL DO CT/UFRJ como Coral Cristão de Dayton

 

FICHA ARTÍSTICA

Dramaturgia: JOSÉ HENRIQUE MOREIRA e SÍLVIA MONTE

Pesquisa e tradução dos autos do processo original e de artigos da imprensa americana da época: JOSÉ HENRIQUE MOREIRA

Assistente de dramaturgia: RICARDO LEITE LOPES 

Trilha musical original: WAGNER CINELLI

Execução 

DIDIER FERNAN, baixo; PAULINHO CRIANÇA, bateria; WAGNER CINELLI, teclado; DANIEL ZIMMER, violão e gongo, GABRIELA ZIMMER e WAGNER CINELLI, coro. 

Paródia de Oh! Susanna, de STEPHEN FOSTER

Letra: JOSÉ HENRIQUE MOREIRA

Voz e violão: MATHEUS VON KRUGER

Arranjos: URCA BOSSA JAZZ 

Gravação e mixagem: La Maison Estúdio

Música Tema: “Bourbon com Cachaça”, de WAGNER CINELLI

Execução de “Old time religion”: CORAL DO CT/UFRJ

Regência, gravação e edição online: ALBERTO NERY

Identidade visual: MARIANA BERSOT

Produção Executiva: JULIANA TRIMER

Gravação on line, direção de gravação, edição, sonorização: LUAN ALENCAR (Maremoto)

Veiculação, criação e manutenção do canal nos agregadores de podcast: MAREMOTO  

Idealização, direção e produção: SILVIA MONTE 

Realização: ESCOLA DA MAGISTRATURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – EMERJ, sob Direção-Geral do Desembargador ANDRÉ GUSTAVO CORREA DE ANDRADE

 

Fonte: Assessoria de Comunicação da Emerj