Agenda Agosto

 

A programação cultural nos espaços está suspensa até o retorno das atividades, porém o CCMJ apresenta algumas novidades para você acompanhar nossas atividades de onde estiver.
Acesse e confira #CCMJcomVc

XV RioHarpFestival e V SPHarpFestival
Agosto/Setembro 2020

O Museu da Justiça – Centro Cultural do Poder Judiciário (CCMJ), com a parceria do programa Música no Museu, recebe o "XV RioHarpFestival” e o “V SPHarpFestival", realizados pelo Música no Museu, que há 15 anos dedica um mês à harpa. Os concertos serão transmitidos virtualmente, de 1 de agosto a 5 de setembro. Serão 62 concertos no Rio de Janeiro e 10 em São Paulo, que contarão com a participação de trinta e cinco músicos de 27 países diferentes, além de palestras sobre a história da harpa. Dentre as novidades, teremos projetos de inclusão com uma harpista brasileira e contaremos com a participação de orquestras de comunidade, a harpista Kobie du Plessis, da África do Sul e a Celtic Harp Orchestra da Itália.

Programação completa abaixo:

Transmissão através dos links:

Facebook
https://www.facebook.com/cedrorosadigital.com.br/
https://www.facebook.com/Rioharpfestival-111147447164043

Youtube
https://www.youtube.com/channel/UC25sT7ofudoMWTDOx5T2DdQ
https://www.youtube.com/channel/UCzvcENZN2Z4ZMVBRge5Y2-A

Twitter
https://twitter.com/cedrodigital
https://twitter.com/HarpRio

1º de agosto à 5 de setembro | Classificação indicativa: livre

Do Direito à Literatura – Encontros Literários Interdisciplinares

Clube “Leituras no Palácio” | Sala Virtual

“Meteram-me a mim e a mais trezentos companheiros de infortúnio e de cativeiro no estreito e infecto porão de um navio. Trinta dias de cruéis tormentos e de falta absoluta de tudo quanto é mais necessário à vida passamos nessa sepultura até que abordamos as praias brasileiras.”
Úrsula, Maria Firmina dos Reis

O Museu da Justiça - Centro Cultural do Poder Judiciário (CCMJ), com a finalidade de promover a leitura de literatura, dá continuidade ao programa “Do Direito à Literatura – Encontros Literários Interdisciplinares”, destinado, em especial, a realçar os laços entre o Direito e as demais Humanidades (Literatura, Filosofia, Sociologia, Psicologia, História, etc.).

No próximo encontro, no dia 3 de agosto, às 17h, em nossa Sala Virtual, conversaremos sobre Úrsula, romance de Maria Firmina dos Reis, primeira autora negra de ficção no Brasil. Publicada em 1859, o que a estabelece como uma das primeiras romancistas do país, a obra, pioneira na crítica antiescravista na nossa literatura, inaugura um gênero literário sem precedentes, já que as diretrizes para os romances abolicionistas seriam propostas apenas décadas depois (o poema “O Navio negreiro”, de Castro Alves, é de 1869, e o romance A escrava Isaura, de Bernardo Guimarães, é de 1875, por exemplo). Além da atividade literária, tendo sido também poeta, foi professora de escola primária a partir de 1847, após ser a aprovada em concurso público na cidade de Guimarães, no Maranhão. Para participar, basta inscrever-se por intermédio do e-mail abaixo informado.

Quinzenalmente realizados, preferencialmente às segundas-feiras, os encontros do “Leituras no Palácio” dispõem do apoio da equipe do Educativo do CCMJ e da mediação do poeta W. B. Lemos, Doutor em Literatura Comparada, Mestre em Literatura Brasileira pela UERJ e integrante do corpo de instrutores da Escola de Administração Judiciária (ESAJ).

Atenção: atividade não registrada para pontuação como atividade de capacitação da ESAJ.

3 de agosto, segunda-feira, às 17h

Em sala virtual do aplicativo Teams a ser acessada por link disponibilizado após a inscrição.

Participação franca | Classificação indicativa: a partir de 12 anos | Número de participantes: 40 pessoas. Inscrições e informações por e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br.

CCMJ | Música

Trio Movimento Musical

Desde a sua fundação, em 2018, o Trio Movimento Musical vem encantando plateias com um repertório que vai do clássico ao popular. O Trio é composto pelo pianista João Paulo Romeu dos Santos, a violoncelista Denise Emmer e a flautista Lelia Brazil. Neste concerto, realizado no dia 31 de outubro de 2019, no Salão Nobre do Antigo Palácio da Justiça do Rio de Janeiro, o Trio apresentou peças de J.S.Bach, Mozart e Haydn.

Para assistir acesse: https://www.youtube.com/pjerjoficial

Estreia 9 de agosto, domingo | Classificação indicativa: livre

17ª Semana Justiça pela Paz em Casa

O Museu da Justiça – Centro Cultural do Poder Judiciário participa das atividades da 17ª Semana da Justiça pela Paz em Casa, realizando ações educativas e artísticas para sensibilização no enfrentamento da violência familiar e doméstica contra a mulher. A programação contará com a exposição "Nunca Me Calarei" e com o programa "Conversas".

CCMJ | EXPO

Nunca Me Calarei

“Nunca Me Calarei”, do artista Marcio Freitas, é uma mostra fotográfica que apresenta rostos de mulheres de todas as partes do Brasil que sofreram algum tipo de assédio, tentativa ou abuso sexual. A exposição itinerante, que já passou por diversas cidades do país, foi exposta no APJ-Rio e APJ-Niterói, este, último local de exibição até a interrupção da visitação. De agoste de 2019 até março de 2020, a exposição no CCMJ recebeu 1.578 pessoas. Como forma de dar continuidade à proposta de que outras mulheres não se calem diante de qualquer forma de violência, ela segue disponível, de forma virtual, no portal do CCMJ, a partir de 16 de agosto de 2020.

Estreia 16 de agosto, domingo, aqui no Portal do CCMJ | Classificação indicativa: 14 anos

Conversas

Reflexões e ações no enfrentamento à violência

O Museu da Justiça – Centro Cultural do Poder Judiciário (CCMJ) apresenta o programa “Conversas: reflexões e ações no enfrentamento à violência”, como um espaço que possibilite a discussão, a aproximação e a sensibilização das pessoas, através de encontros com apresentações lúdicas e conteúdos didáticos, de questões tão importantes e atuais.

A violência contra a mulher é um fenômeno complexo e merece ser compreendido a partir de múltiplos fatores que estão envolvidos no seu surgimento. Este tipo de violência não é recente e acontece em todas as classes sociais, trazendo danos físicos e psicológicos para a família afetada.

No segundo encontro do programa "Conversas: reflexões e ações no enfrentamento à violência”, trataremos dos aspectos psicológicos que a mulher em situação de violência apresenta, assim como, sobre as crianças envolvidas nesta dinâmica. Abordaremos também, as dificuldades que a mulher apresenta em romper com o ciclo e fazer a denúncia. “Conversas” é realizado com o apoio da equipe do Educativo do CCMJ e com a colaboração e mediação da psicóloga Maria Augusta Fischer.

20 de agosto - quinta-feira, de 17h às 18h30min

Em sala virtual do aplicativo Teams a ser acessada por link disponibilizado após a inscrição.

Participação franca | Classificação indicativa: a partir de 14 anos | Inscrições e informações por e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br.

CCMJ | EXPO

Mostra Virtual de Documentos Judiciais

O Homicídio de Euclides da Cunha

Além de escritor, Euclides da Cunha foi jornalista e engenheiro militar. Atuou em diversas obras públicas, inclusive na demarcação das fronteiras entre o Brasil e o Peru. Como correspondente do Jornal "O Estado de São Paulo", acompanhou os conflitos na região de Canudos, no interior Baiano. Esta experiência o inspirou a escrever sua grande obra “Os Sertões”, publicada em 1902. No ano seguinte, seria eleito imortal pela Academia Brasileira de Letras.

Euclides da Cunha foi morto na residência do jovem cadete Dilermando Cândido de Assis, que mantinha um relacionamento amoroso com sua esposa, Anna Emília Solon da Cunha. O episódio, que ficou conhecido como a “tragédia da Piedade”, ocorreu em 1909, no subúrbio carioca, e teve ampla cobertura da imprensa. Houve dois julgamentos pelo Tribunal do Júri, que, nas duas ocasiões, decidiu pela absolvição do réu (Dilermando), por entender que agira em legítima defesa

A mostra virtual contará com a consulta dos processos de homicídio e de inventário, pertencentes ao acervo histórico do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e restaurados pela equipe técnica do CCMJ.

Visite em: http://ccmj.tjrj.jus.br/web/ccmj/o-homicidio-de-euclides-da-cunha

Classificação indicativa: livre