Agenda Março

Por Programa

APJ-Rio

EXPOSIÇÃO

NOSSA LUTA: A PERSEGUIÇÃO AOS NEGROS DURANTE O HOLOCAUSTO

Apesar das políticas raciais do Nazismo em relação aos judeus e ciganos terem sido bem documentadas, os pesquisadores deram pouca atenção às ações contra os negros. Esta minoria, embora não eliminada sistematicamente como outros grupos, enfrentou intensa discriminação - que variou do isolamento ao assassinato. Até hoje, são escassos os registros sobre a perseguição aos afrogermânicos.

Este é o tema da exposição itinerante “Nossa Luta: a perseguição aos negros durante o Holocausto”, composta por 23 painéis e duas vitrines. A mostra chega ao Rio de Janeiro, após passar por Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná.

A proposta da exposição é levar novas narrativas aos educadores, apresentando o contexto e a crescente privação dos negros desde o período colonial alemão (incluindo o genocídio de hereros e namaquas, na atual Namíbia), passando pela República de Weimar, até o Nazismo consolidado. Destaque também para curtas biografias de afrogermânicos que sobreviveram à perseguição nazista.

Visitação: 05 de março a 07 de abril

De segunda a sexta-feira, das 11h às 19h, e sábado, das 10h às 17h | Salão dos Passos Perdidos – 2º andar, APJ-Rio

Entrada franca | Classificação indicativa: Livre

EXPOSIÇÃO

ARTE+CIÊNCIA 2020

O projeto "Arte+Ciência" propõe um espaço de diálogo entre as esferas das artes e das ciências, como um campo de pesquisa e experimentação estética. Na edição de 2020, será realizada a exposição coletiva "Arte+Ciência 2020 - O Cérebro e o Imaginário", propondo como recorte o cérebro como objeto e o imaginário que o rodeia. Visando incentivar novos artistas a explorar o campo da arte-ciência (science-art), 40% das obras expostas será oriunda de seleção pública, por processo aberto e gratuito. As inscrições foram abertas a obras de variadas linguagens e técnicas. As demais obras contam com trabalhos de artistas-cientistas ou cientistas-artistas já atuantes na área temática da exposição. A exposição, com curadoria de Glaucio Aranha, será inaugurada no dia 16 de março. A exposição é promovida pelo Museu da Justiça – Centro Cultural do Poder Judiciário (CCMJ/PJERJ), a Organização Ciências e Cognição (OCC) e o Núcleo de Divulgação e Ensino de Neurociências (NuDCEN/IBCCF/UFRJ), em parceria igualitária. O lançamento da exposição será feito junto às atividades da XI Semana do Cérebro, no Rio de Janeiro, coordenada por Ciências e Cognição, integrada à mobilização internacional da Semana de Conscientização sobre o Cérebro (Brain Awareness Week), promovida pela instituição Dana Foundation.

Visitação: 16 de março a 28 de abril

De segunda a sexta-feira, das 11h às 19h, e sábado, das 10h às 17h | Salão dos Espelhos e Sala Iconográfica (305) – 3º andar, APJ-Rio

Entrada franca | Classificação indicativa: Livre

MOSTRA DE DOCUMENTOS JUDICIAIS

O HOMICÍDIO DE EUCLIDES DA CUNHA

A Mostra é um apanhado de documentos judiciais em que serão expostos os processos de homicídio e de inventário de Euclides da Cunha, pertencentes ao acervo histórico do CCMJ.

A exposição abordará o caso conhecido como “A Tragédia da Piedade”, que teve ampla repercussão pública no início do século passado, e contará com 4 painéis, 1 vitrine com os autos processuais, e um terminal para consulta online dos documentos digitalizados.

Visitação: Até junho de 2020

De segunda a sexta-feira, das 11h às 19h, e sábado, das 10h às 17h | Sala Cenográfica 309 – 3º andar, APJ-Rio

Entrada franca | Classificação indicativa: Livre

PROJETOS PARCEIROS

Lançamento dos livros “Anjos na Escuridão – Desmascarando a Pedofilia” e “Anjos – Pedofilia: aprender para se defender!”, de Maura de Oliveira

Maura de Oliveira é escritora, educadora, palestrante e coach motivacional. Possui chancela da ONU e menção honrosa da ex Primeira-Dama dos Estados Unidos, Michelle Obama. Maura foi vítima de pedofilia dos 6 aos 16 anos de idade e transformou sua vida numa grande luta pelos direitos e proteção às crianças e adolescentes.

O livro “Anjos na Escuridão – Desmascarando a pedofilia! ” apresenta uma extensa pesquisa envolvendo casos reais nos principais órgãos de proteção às crianças e adolescentes e traz uma orientação esclarecedora que decifra passo a passo os “jogos” e “planos” do pedófilo e suas armadilhas afetuosas. O livro ainda conta com prefácios do presidente do TJRJ Desembargador Cláudio de Mello Tavares e da desembargadora Ivone Ferreira Caetano, além de posfácio escrito pelo Desembargador Fabio Dutra.

Lançando também o livro infantil “Anjos – Pedofilia: Aprender para se defender” que, através de uma metodologia que utiliza técnicas lúdicas, leva as informações até as crianças e adolescentes nas escolas e ensina sobre autodefesa, empoderamento, segurança, autoestima, diálogo e saúde emocional.

Durante o lançamento dos livros, o Setor Educativo realizará atividade paralela com crianças vindas das cidades do Rio de Janeiro, Búzios e São Gonçalo.

04 de março – Quarta-feira, das 16h30 às 20h

Salão Nobre e Salão dos Espelhos – 3º andar, APJ-Rio

Entrada franca | Classificação indicativa: Livre | Duração: 3h 30m

MÚSICA NO MUSEU

Homenagem a Villa-Lobos

O concerto será uma panorâmica das principais coleções para piano solo de HEITOR VILLA-LOBOS, executadas pelos pianistas Adriana Kellner, Cecília Guimarães, Ezequiel Peres E Fernanda Cruz, sob a Direção Artística de Maria Helena de Andrade. Entremeando a parte musical, serão apresentados pequenos trechos de inspirados textos do genial compositor, que resumem sua filosofia, suas crenças, seu ideal de paz e sua paixão pela música e pelo Brasil.

05 de março – Quinta-feira, às 12h30

Salão Nobre – 3º andar, APJ-Rio

Entrada franca | Classificação indicativa: Livre | Senhas distribuídas às 12h | Duração: 90m | Lotação: 50 pessoas

16ª SEMANA DA JUSTIÇA PELA PAZ EM CASA

Roda de conversa com Drª Adriana Ramos de Mello e convidadas

Abrindo a 16ª Semana pela Paz em Casa, haverá uma roda de conversa com a Drª Adriana Ramos de Mello onde serão abordados aspectos, aplicações e mudanças na Lei Maria da Penha. O público participa compartilhando estórias, vivências e discutindo temas relacionados ao feminino.

Adriana Ramos de Mello é Juíza Titular do I Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, membro da Coordenadoria Estadual da Mulher em situação de Violência Doméstica e Familiar do TJRJ, e da Comissão Especial de Segurança da Mulher do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher.

Drª Cristina Fernandes é psicóloga e coordenadora do Centro Integrado de Atendimento à Mulher - CIAM Márcia Lyra, da Subsecretaria de Políticas para as Mulheres da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SEDSODH).

11 de março, quarta-feira.Das 18h 30min às 20h, na Sala Multiuso. Capacidade para 30 pessoas. Entrada franca, com distribuição de senhas às 18h. Classificação indicativa: 14 anos.

Apresentação do esquete “Acidente”, seguido de debate com Maria Augusta Fischer e Drª Evelin Gomes Esperandio.

“Acidente” é um solo narrativo inspirado em fatos reais sobre “ser” e “estar” mulher. Entre música e dança, uma mulher é envolvida por histórias de sua família até descobrir e reconhecer os desafios e conflitos de sua própria existência. Temas como negação do abuso e normatização da violência são trabalhados em um universo lúdico e descontraído.

Ludimila D’Angelis é atriz e arte educadora. É formada em Teatro Bacharelado pela Cândido Mendes e Teatro Licenciatura pela UNESA. Participou como atriz de diversos espetáculos como "Uma Intervenção" com direção de Clarissa Freire, "Urucuia Grande Sertão" com direção de Márcia Do Valle, entre outros. Atua como educadora no Museu da Justiça-Centro Cultural do Poder Judiciário desde 2019.

Lilian Corrêa é graduanda no curso de Artes Cênicas - Direção Teatral pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Bolsista de artes cênicas no Museu da Vida (FIOCRUZ). Como Diretora Teatral em 2019, estreou na Mostra de Teatro da UFRJ com espetáculo Infanto-Juvenil “Histórias da A-AYA”, de Antônio Santos de Carvalho.

Maria Augusta Fischer é psicóloga clínica graduada pela PUC e psicóloga jurídica pela UERJ. É especialista em violência contra a mulher e coordenadora do grupo de reflexão com mulheres em situação de violência doméstica. Atua como psicóloga no Centro de Atendimento à Mulher – CIAM Marcia Lyra

Drª Evelin Gomes Esperandio é médica da família e comunidade e formada pela UFRGS. É mestra em saúde da família pela UERJ com o tema “Violência íntima: Experiência na atenção primária do Rio de Janeiro”.

Ficha Técnica da esquete:

Texto e atuação: Ludimila D’Angelis / Direção: Lilian Corrêa / Iluminação: Lilian Corrêa / Colaboração: Maria Augusta Fisher

12 de março, quinta-feira. Das 19h às 20h 30min, na Sala Multiuso. Capacidade para 60 pessoas. Entrada franca, com distribuição de senhas às 18h 30min. Classificação indicativa: 14 anos.

Show de Maíra Garrido

Cantora por profissão e missão, Maíra Garrido faz música de mente livre e coração aberto. Direta e idealista, faz do feminismo, da luta contra a gordofobia e da promoção dos direitos LGBTQIA+ suas bandeiras, sem perder a ternura e com muito prazer. É daquelas que odeia coisa fora do lugar, mas se bagunçam seu peito, trata logo de arrumar caneta e violão para fazer da ilusão ou da desilusão uma boa canção.

13 de março, sexta-feira. Das 19h às 20h, na Sala Multiuso. Capacidade para 60 pessoas. Entrada franca, com distribuição de senhas às 18h 30min. Classificação indicativa: Livre.

PROJETOS PARCEIROS

Conferência do Ministro Luis Roberto Barroso do STF sobre o tema: "A constituição e a Democracia no Brasil, ontem e hoje", de Geraldo Tadeu Moreira Monteiro

A obra reúne 37 autores em 28 artigos sobre o desenvolvimento institucionais, políticos e culturais no Brasil. O livro é um apanhado histórico dos últimos 30 anos nas mais diferentes áreas amparadas pela Constituição de 1988.

O lançamento apresenta os diferentes pontos de vista de juristas, cientistas políticos, economista, sociólogos e antropólogos. O extenso material foi organizado por Geraldo Tadeu Moreira Monteiro, Mestre em Sociologie Politique (Universite de Paris), Doutor em Direito (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) e atualmente coordenador do Centro Brasileiro de Estudos e Pesquisas sobre a Democracia (Cebrad).

O evento terá início às 11h30 com a Mesa de Abertura, que contará com a presença do diretor do CCMJ, Sergio Ricardo von Sydow, do organizador do livro, Geraldo Tadeu Monteiro e do co-organizador do evento, Humberto Mota Filho. Em seguida, será constituída a Mesa de Debates com o ministro do Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso, com o ex-ministro, Bernardo Cabral e com o organizador do livro, Geraldo Tadeu Monteiro. Após a conferência, o evento terá continuidade no Salão Nobre onde ocorrerá o lançamento do livro.

20 de março – Sexta-feira, das 11h30 às 14h

Salão Histórico do I Tribunal do Júri (palestra) e Salão Nobre (lançamento) – 2º e 3º andar, APJ-Rio

Entrada franca | Classificação indicativa: Livre | Lotação: 150 pessoas

CLUBE “LEITURAS NO PALÁCIO”

DO DIREITO À LITERATURA – ENCONTROS LITERÁRIOS INTERDISCIPLINARES

O Museu da Justiça - Centro Cultural do Poder Judiciário (CCMJ), com a finalidade de promover a leitura de literatura, dá continuidade ao programa “Do Direito à Literatura – Encontros Literários Interdisciplinares”, destinado, em especial, a realçar os laços entre o Direito e as demais Humanidades (Literatura, Filosofia, Sociologia, Psicologia, História, etc.).

No dia 2 de março, às 18h30min, no Clube “Leituras no Palácio”, compartilharemos impressões de leitura acerca do romance Eu, Tituba: bruxa negra de Salem, obra internacionalmente reconhecida da autora caribenha Maryse Condé, contemplada com o The New Academy Prize in Literature, premiação criada como alternativa ao Prêmio Nobel de Literatura de 2018. Para a poeta e escritora Conceição Evaristo, prefaciadora da recente edição brasileira, a narrativa é elucidativa quanto à “condição das mulheres no período em que uma moral puritana imperava sobre a sociedade”, quando “mulheres de todas as condições eram subjugadas”, as “africanas e suas descendentes mais ainda”.

Os encontros quinzenais no APJ-Rio, sempre às segundas-feiras, contam com a presença do Educativo do CCMJ e a colaboração do também poeta W. B. Lemos, Doutor em Literatura Comparada, Mestre em Literatura Brasileira pela UERJ e instrutor da Escola de Administração Judiciária (ESAJ).

Atenção: atividade não registrada para pontuação como atividade de capacitação da ESAJ.

02 e 16 de março – segunda-feira, de 18h 30min às 20h

Salão Nobre – 3º andar, APJ-Rio

Entrada franca | Classificação indicativa: a partir de 12 anos | Duração: 1h30m | Número de participantes: 40 pessoas. Inscrições e informações: 3133-3768 / 3133-2721 ou e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br

VISITA MEDIADA

DA PEDRA AO PALÁCIO – Um percurso interativo ao encontro da Justiça

Conduzida por arte-educadores, a visita apresenta à população – de forma lúdica, dinâmica e interativa – a arquitetura, a história e as funções do Antigo Palácio da Justiça do Rio de Janeiro. De espaço em espaço, a pedra é esculpida em jogos com os visitantes estimulando a reflexão sobre o significado da Justiça e da sua importância na vida em sociedade. No percurso aos diversos salões e tribunais históricos os visitantes têm a chance de participar de um julgamento teatralizado no Salão Histórico do I Tribunal do Júri e conhecer como se dá o funcionamento de um júri.

Recomendada para turmas de ensino médio, faculdades e outros grupos.

Entrada franca | Classificação indicativa: a partir de 12 anos | Número de visitantes: 40 pessoas | Duração: 1h30min | Agendamento de grupos e escolas: 3133 – 3768 / 3133-2721 ou e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br

OFICINA

ACERVOS CONECTADOS – Visita técnica ao acervo

Nesta oficina, o visitante tem a oportunidade de conhecer as atividades de preservação, organização, guarda e disponibilização dos acervos históricos do Poder Judiciário fluminense. Museólogos, arquivistas, historiadores e educadores apresentam o trabalho desenvolvido na instituição e também o acervo composto por figurinos de espetáculos teatrais, autos de crimes de grande repercussão, processos da nobreza e família Imperial brasileira, ações de liberdade de escravos e outros documentos em formato textual e audiovisual, além de objetos e obras de arte que guardam a memória Justiça no estado do Rio de Janeiro.

Recomendada para turmas de ensino médio, faculdades e outros grupos.

Entrada franca | Classificação indicativa: a partir de 12 anos | Número de visitantes: 20 pessoas | Duração: 1h30min | Agendamento de grupos e escolas: 3133-3768 / 3133-2721 ou e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br

 

Magistrados, servidores, colaboradores e interessados podem reservar lugares pelos ramais 3366 e 3368. As reservas serão válidas até 15 minutos antes do início do espetáculo, após o horário os assentos serão liberados para o público.

 

Por Programa

APJ-Niterói

EXPOSIÇÃO

NUNCA ME CALAREI

“Nunca me calarei”, do artista Márcio Freitas, é uma mostra fotográfica de rostos de mulheres brasileiras que sofreram alguma forma de assédio, tentativa ou abuso sexual. As fotos expõem nos olhares de cada uma das vítimas, dor, medo, mágoa e raiva, dando voz a quem durante muito tempo se manteve calada, devido a bloqueios sociais ou emocionais. O projeto nasceu da vontade do fotógrafo carioca captar, além da dor física, as marcas deixadas na alma e refletidas nos olhos de cada vítima desse tipo de violência. E é um convite a outras mulheres para que não se calem diante de qualquer forma de violência.

Visitação: até 31 de março de 2020

De segunda a sexta-feira, das 11h às 17h | Saguão de entrada – Térreo, APJ-Niterói

Entrada franca | Classificação indicativa: 14 anos | Agendamento de grupos e escolas: 3133-3768 / 3133-2721 ou e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br

VISITA MEDIADA

DA PEDRA AO PALÁCIO – Um percurso interativo ao encontro da Justiça

Conduzida por arte-educadores, a visita apresenta à população – de forma lúdica, dinâmica e interativa – a arquitetura, a história e as funções do Antigo Palácio da Justiça Niterói (1920) e estimula o visitante a refletir, cultivar e disseminar valores de Justiça. De espaço em espaço, a pedra é esculpida em jogos com os visitantes estimulando a reflexão sobre o significado da Justiça e da sua importância na vida em sociedade.

Recomendada para turmas de ensino médio, faculdades e outros grupos.

Entrada franca | Classificação indicativa: a partir de 10 anos | Número de visitantes: 40 pessoas | Duração: 1h20

Agendamento de grupos e escolas: 3133 – 3768 / 3133-2721 ou e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br

Agendamento de grupos no Educativo CCMJ-Rio, por telefone 3133-3366/3133-3368 ou e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br | Entrada franca | 2º Andar – Espaço Multiuso