Agenda Setembro

 

A programação cultural nos espaços está suspensa até o retorno das atividades, porém o CCMJ apresenta algumas novidades para você acompanhar nossas atividades de onde estiver.
Acesse e confira #CCMJcomVc

XV RioHarpFestival e V SPHarpFestival
Agosto/Setembro 2020

O Museu da Justiça – Centro Cultural do Poder Judiciário (CCMJ), com a parceria do programa Música no Museu, recebe o "XV RioHarpFestival” e o “V SPHarpFestival", realizados pelo Música no Museu, que há 15 anos dedica um mês à harpa. Os concertos serão transmitidos virtualmente, de 1 de agosto a 5 de setembro. Serão 62 concertos no Rio de Janeiro e 10 em São Paulo, que contarão com a participação de trinta e cinco músicos de 27 países diferentes, além de palestras sobre a história da harpa. Dentre as novidades, teremos projetos de inclusão com uma harpista brasileira e contaremos com a participação de orquestras de comunidade, a harpista Kobie du Plessis, da África do Sul e a Celtic Harp Orchestra da Itália.

Programação completa abaixo:

Transmissão através dos links:

Facebook
https://www.facebook.com/cedrorosadigital.com.br/
https://www.facebook.com/Rioharpfestival-111147447164043

Youtube
https://www.youtube.com/channel/UC25sT7ofudoMWTDOx5T2DdQ
https://www.youtube.com/channel/UCzvcENZN2Z4ZMVBRge5Y2-A

Twitter
https://twitter.com/cedrodigital
https://twitter.com/HarpRio

1º de agosto à 5 de setembro | Classificação indicativa: livre

CCMJ | História Oral

Entrevistado: Desembargador Sergio Cavalieri Filho

O Programa de História Oral do Poder Judiciário nasceu de um projeto criado em 1998 pelo desembargador Luiz César de Aguiar Bittencourt Silva (1925-2011), que compunha o colegiado dirigente do Museu da Justiça, e se propunha a desenvolver trabalhos de pesquisa historiográfica tomando por base a metodologia e as técnicas da História Oral. Basicamente, o objetivo do Programa, ao longo de quase 16 anos, é o de resgatar, preservar e divulgar a História recente do Poder Judiciário através do testemunho de seus próprios agentes.

A entrevista com o desembargador aposentado e presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) no biênio 2005/2006, Sergio Cavalieri Filho, foi realizada no dia 18 de outubro de 2017, no espaço histórico do Salão Nobre do Antigo Palácio da Justiça do Rio de Janeiro.

O magistrado discorreu sobre a sua trajetória, desde a infância em uma família de nove irmãos, vivida em Cuiabá, Mato Grosso, nos anos de 1940, até a sua aposentadoria, em novembro de 2009. Seu ingresso na magistratura ocorreu em 1972, no antigo Estado do Rio de Janeiro e o entrevistado recordou com satisfação que, no ano seguinte, tornou-se juiz substituto do Estado da Guanabara, ocasião em que teve como colega de concurso o desembargador Ronald Valladares, Coordenador do Programa e um dos entrevistadores. Demais momentos importantes também foram abordados, tais como a extinção dos Tribunais de Alçada e o fortalecimento do Conselho de Vitaliciamento.

Ao final da entrevista, enalteceu a iniciativa do Programa de História Oral e concordou em ceder seu depoimento para compor o acervo audiovisual do CCMJ. Os sumários dos depoimentos são disponibilizados aos públicos interno e externos na página do CCMJ, no portal do TJRJ, e a íntegra (transcrita ou em formato audiovisual) é acessada por meio de solicitação ao SEATA através do correio eletrônico “ccmj.seata@tjrj.jus.br”.

Para assistir acesse: https://youtu.be/TDEIbps9Enc

Estreia 6 de setembro, domingo | Classificação indicativa: livre

CCMJ | Doc

O Antigo Palácio da Justiça do Rio de Janeiro

O Museu da Justiça – Centro Cultural do Poder Judiciário continua sua série de documentários, o CCMJ | DOC, que aborda assuntos relacionados à história da Justiça no estado do Rio de Janeiro e no Brasil.

Episódio 2: O Antigo Palácio da Justiça do Rio de Janeiro

Neste episódio, será apresentada a história do Antigo Palácio da Justiça do Rio de Janeiro, verdadeira joia do ecletismo do início do século XX. Serão abordados os imóveis que o antecederam e os diferentes tribunais que o tiveram por sede, desde 1926. Seus salões preservados e as grandes reformas por que passou ajudam a evidenciar sua importância para a memória da Justiça na cidade do Rio de Janeiro.

Para assistir acesse: https://youtu.be/ByPncNi37gg

Estreia 13 de setembro, domingo | Classificação indicativa: livre

Do Direito à Literatura – Encontros Literários Interdisciplinares

Clube “Leituras no Palácio” | Sala Virtual

“E respondemos: o fascismo (...), exprimindo-se através de uma política favorável à crescente concentração do capital; é um movimento político de conteúdo social conservador, que se disfarça sob uma máscara ‘modernizadora’, guiado pela ideologia de um pragmatismo radical, servindo-se de mitos irracionalistas (...). O fascismo é um movimento chauvinista, antiliberal, antidemocrático, antissocialista, antioperário. Seu crescimento num país pressupõe condições históricas especiais, pressupõe uma preparação reacionária que tenha sido capaz de minar as bases das forças potencialmente antifascistas (...); e pressupõe também as condições da chamada sociedade de massas de consumo dirigido, bem como a existência nele de um certo nível de fusão do capital bancário com o capital industrial, isto é, a existência do capital financeiro.”
Introdução ao fascismo, Leandro Konder

Na próxima reunião do programa Do Direito à Literatura – Encontros Literários Interdisciplinares - Leituras no Palácio, no dia 14 de agosto, às 17h, na Sala Virtual do CCMJ, conversaremos sobre o livro Introdução ao fascismo, ensaio do filósofo Leandro Konder. Resultado de ampla e profunda pesquisa histórica e teórica, expressa em linguagem clara e precisa, a obra funciona como um lúcido guia para a compreensão conceitual desse fenômeno político. A exposição de Konder, além de apresentar a compreensão que se teve do fascismo à época de seu surgimento na Itália, e de sua expansão na Alemanha, acompanha a discussão sobre o mesmo após a morte de Hitler e Mussolini, e conclui familiarizando o leitor com as controvérsias mais recentes acerca dessa vertente política autoritária. Publicado em 1977, o livro permanece atual e pode ser revelador quanto aos nossos tempos.

Quinzenalmente realizados, preferencialmente às segundas-feiras, os encontros do “Leituras no Palácio” dispõem do apoio da equipe do Educativo do CCMJ e da mediação do poeta W. B. Lemos, Doutor em Literatura Comparada, Mestre em Literatura Brasileira pela UERJ e integrante do corpo de instrutores da Escola de Administração Judiciária (ESAJ).

Atenção: atividade não registrada para pontuação como atividade de capacitação da ESAJ.

14 de setembro - segunda-feira, às 17h

Em sala virtual do aplicativo Teams a ser acessada por link disponibilizado após a inscrição.

Participação franca | Classificação indicativa: a partir de 12 anos | Número de participantes: 40 pessoas. Inscrições e informações por e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br.

CCMJ | Conversas

Reflexões e ações no enfrentamento à violência

O Museu da Justiça – Centro Cultural do Poder Judiciário (CCMJ) apresenta o programa “Conversas: reflexões e ações no enfrentamento à violência”, como um espaço que possibilite a discussão, aproximação e a sensibilização das pessoas sobre este tema atual e de suma importância. A proposta do encontro será de forma lúdica, seguida por conteúdos importantes sobre o tema da violência.

A violência contra a mulher é um fenômeno complexo e merece ser compreendido a partir de múltiplos fatores. Este tipo de violência não é recente e acontece em todas as classes sociais, trazendo danos físicos e psicológicos para a família envolvida.

No terceiro encontro do programa "Conversas: reflexões e ações no enfrentamento à violência”, falaremos sobre a Lei 11.340/06, mais conhecida como Lei Maria da Penha. Provavelmente já ouviram o ditado “Em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher.” A violência contra a mulher era amenizada até a criação desta lei que joga o ditado popular fora e se torna fundamental no combate à violência.

“Conversas” é realizado com o apoio da equipe do Educativo do CCMJ e com a colaboração e mediação da psicóloga Maria Augusta Fischer (CRP 05/10016).

17 de setembro - quinta-feira, de 17h às 18h30min

Em sala virtual do aplicativo Teams a ser acessada por link disponibilizado após a inscrição.

Participação franca | Classificação indicativa: a partir de 14 anos | Inscrições e informações por e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br.

CCMJ | Música

Piano Solo com Thiago Vitório

O Museu da Justiça–Centro Cultural do Poder Judiciário, dando continuidade ao seu programa de música, apresenta o pianista Thiago Vitório, no concerto para piano solo realizado no Salão Nobre do Antigo Palácio da Justiça do Rio de Janeiro, no dia 11 de outubro de 2019.

Thiago Vitorio é pianista, produtor musical, arranjador e compositor. Recém-graduado da prestigiosa Berklee College of Music, nasceu em Barra Mansa, RJ, e apesar da pouca idade, já tem percorrido um longo e vitorioso caminho musical onde tocou com músicos de fama mundial como Isaac Karabchevsky, David Chew, João Bosco, Randy Gloss, Gerald Robbins, Gilson Peranzzetta, entre muitos outros.

Para assistir acesse: https://youtu.be/Y_PJpvDKx-w

Estreia 20 de setembro, domingo | Classificação indicativa: livre

14ª Primavera de Museus

Mundo Digital: museus em transformação

Com o tema “Mundo Digital: museus em transformação”, a temporada de eventos este ano acontecerá entre os dias 21 e 27 de setembro. O tema surgiu, exatamente, a partir da necessidade de adequação que museus e instituições culturais enfrentaram para manter o contato com o público por meio do ambiente digital, depois do isolamento social imposto pela pandemia.

O CCMJ participará da semana disponibilizando diversas atividades e conteúdos em nosso portal, desde exposições virtuais à vídeos de Música e documentários.

Confira a programação: Clique aqui

CCMJ | Programas Parceiros

Palestra “A Força do Um” com André Trigueiro

Para tratar de um tema de saúde pública, no mês que traz a importância da prevenção ao suicídio, o DEAPE e CCMJ apresentam, em formato virtual, a palestra “A Força do UM”, do jornalista André Trigueiro, realizada em setembro de 2019 no Salão Histórico do I Tribunal do Júri do Antigo Palácio da Justiça do Rio de janeiro.

O Setembro Amarelo, campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, que ocorre este mês em todo o mundo, busca abordar o tema de forma consciente e desmistificada, a fim de trazer à tona questões que envolvem o assunto. Após a palestra, André Trigueiro autografou o livro “A Força do Um”, com direitos autorais cedidos para a Fraternidade Sem Fronteiras. Na obra, o jornalista compartilha ideias, expõe sentimentos e sugere ações transformadoras, mostrando que cada pessoa tem o poder de interferir na realidade que a cerca, ou seja: a força do um transforma a realidade de todos.

Para assistir acesse: https://youtu.be/ml0FoVj_fv8

Estreia 27 de setembro, domingo | Classificação indicativa: livre

Do Direito à Literatura – Encontros Literários Interdisciplinares

Clube “Leituras no Palácio” | Sala Virtual

“Feito um cego ao sol/ e em silêncio, / eu bebo entre as mãos/ a tua ausência.”
“Sede”, do livro Escritos ao sol, de Adriano Espínola

Nesse primeiro encontro comemorativo de um ano de existência, o Leituras no Palácio Convida o poeta, contista e ensaísta Adriano Espínola. Em nossa Sala Virtual, no dia 28 de setembro, às 17h, o escritor convidado lerá poemas de sua antologia Escritos ao sol, será entrevistado, falará sobre a escrita de poesia e conversará com os participantes do evento.

Quinzenalmente realizados, preferencialmente às segundas-feiras, os encontros do “Leituras no Palácio” dispõem do apoio da equipe do Educativo do CCMJ e da mediação do poeta W. B. Lemos, Doutor em Literatura Comparada, Mestre em Literatura Brasileira pela UERJ e integrante do corpo de instrutores da Escola de Administração Judiciária (ESAJ).

Atenção: atividade não registrada para pontuação como atividade de capacitação da ESAJ.

28 de setembro, segunda-feira, às 17h

Em sala virtual do aplicativo Teams: https://bit.ly/3iADVoY. A sala virtual estará disponível para acesso a partir das 16h30min no dia do evento

Participação franca | Classificação indicativa: a partir de 12 anos | Número máximo de participantes: 250 pessoas. Informações por e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br.

CCMJ | EXPO

Nunca Me Calarei

“Nunca Me Calarei”, é uma mostra fotográfica que apresenta rostos de mulheres de todas as partes do Brasil que sofreram algum tipo de assédio, tentativa ou abuso sexual. A exposição itinerante, que já passou por diversas cidades do país, foi exposta no APJ-Rio e APJ-Niterói, este, último local de exibição até a interrupção da visitação. De agoste de 2019 até março de 2020, a exposição no CCMJ recebeu 1.578 pessoas. Como forma de dar continuidade à proposta de que outras mulheres não se calem diante de qualquer forma de violência, ela segue disponível, de forma virtual, no portal do CCMJ, a partir de 16 de agosto de 2020.

Exposição finalizada

Até 30 de setembro

Classificação indicativa: 14 anos

CCMJ | EXPO

Mostra Virtual de Documentos Judiciais

O Homicídio de Euclides da Cunha

Além de escritor, Euclides da Cunha foi jornalista e engenheiro militar. Atuou em diversas obras públicas, inclusive na demarcação das fronteiras entre o Brasil e o Peru. Como correspondente do Jornal "O Estado de São Paulo", acompanhou os conflitos na região de Canudos, no interior Baiano. Esta experiência o inspirou a escrever sua grande obra “Os Sertões”, publicada em 1902. No ano seguinte, seria eleito imortal pela Academia Brasileira de Letras.

Euclides da Cunha foi morto na residência do jovem cadete Dilermando Cândido de Assis, que mantinha um relacionamento amoroso com sua esposa, Anna Emília Solon da Cunha. O episódio, que ficou conhecido como a “tragédia da Piedade”, ocorreu em 1909, no subúrbio carioca, e teve ampla cobertura da imprensa. Houve dois julgamentos pelo Tribunal do Júri, que, nas duas ocasiões, decidiu pela absolvição do réu (Dilermando), por entender que agira em legítima defesa

A mostra virtual contará com a consulta dos processos de homicídio e de inventário, pertencentes ao acervo histórico do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e restaurados pela equipe técnica do CCMJ.

Visite em: http://ccmj.tjrj.jus.br/web/ccmj/o-homicidio-de-euclides-da-cunha

Classificação indicativa: livre

Curso Livre de Pintura

Fazendo Arte por Toda Parte - Encontros Virtuais

O CCMJ, Museu da Justiça – Centro Cultural do Poder Judiciário, oferece o curso livre de pintura “FAZENDO ARTE por TODA PARTE”, sob a orientação da artista plástica, Isabela Francisco.
“Em época de afastamento social, a arte tem o dom de unir almas” - afirma a artista. Para dar continuidade à esse incrível trabalho, Isabela Francisco criou uma página no Youtube onde os alunos poderão acessar às aulas virtuais, ministradas toda semana.

Aulas na página “Artista Isabela Francisco” através do link: https://www.youtube.com/channel/UCl4-VWU2s5ByxAdszsMJDug

Atenção: curso não registrado para pontuação como atividade de capacitação da ESAJ.

Curso gratuito
Classificação indicativa: Livre
Informações por e-mail: ccmj@tjrj.jus.br