Desembargador Alexandre Teixeira de Souza toma posse no TJRJ reafirmando seu compromisso contra a desigualdade social
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 22/11/2022 08:26

Da esquerda para direita: desembargadores Marcus Antonio de Souza Faver, Henrique Carlos de Andrade Figueira, Cláudio Luís Braga Dell’Orto e Alexandre Teixeira de Souza           Da esquerda para direita: desembargadores Marcus Antonio de Souza Faver, Henrique Carlos de Andrade Figueira, Cláudio Luís Braga Dell’Orto e Alexandre Teixeira de Souza

 

Promovido a desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro durante sessão do Órgão Especial realizada nesta segunda-feira (21/11), o desembargador Alexandre Teixeira de Souza tomou posse afirmando que seguirá lutando contra as desigualdades sociais. O magistrado foi promovido pelo critério de merecimento. 

Realizada no plenário do Órgão Especial, a solenidade foi iniciada com a entrada do desembargador Alexandre Teixeira conduzido pelos padrinhos, os desembargadores Henrique Carlos de Andrade Figueira, presidente do TJRJ, e  Cláudio Luís Braga Dell’Orto. Em nome do  Tribunal de Justiça, o desembargador Luiz Felipe Miranda de Medeiros Francisco saudou o novo desembargador. 

A mesa de honra da cerimônia de posse, presidida pelo desembargador Henrique Figueira, foi composta pelas seguintes autoridades: desembargador Marcus Antonio de Souza Faver, presidente do TJRJ no biênio 2001-2002; desembargador Elton Martinez Carvalho Leme, presidente do TRE-RJ; desembargadora Teresa de Andrade Castro Neves, 1ª vice-presidente da Amaerj; deputado André Ceciliano, presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro; Nicola Miccione, secretário de Estado da Casa Civil, representando o governador do Rio de Janeiro Cláudio Castro; Rubens Bomtempo, prefeito de Petrópolis; e Flávio de Araújo Willeman, subprocurador-geral  do Estado. 

Em discurso, o desembargador, Alexandre Teixeira de Souza agradeceu aos que colaboraram para que alcançasse o seu sonho. 

“Gostaria de apresentar meus agradecimentos sinceros e emocionados de gratidão a todos os que colaboraram para concretização desse sonho de ser promovido a desembargador, que é o coroamento, o ápice da carreira da magistratura estadual. Tenho como objetivo na vida ajudar as pessoas indistintamente. Nesta filosofia, prometo continuar buscando a tão sonhada paz social, acreditando nessa possibilidade a partir da diminuição das diferenças sociais. ” 

O magistrado citou o escritor e dramaturgo paraibano Ariano Suassuna para  afirmar que seguirá em sua luta contra as desigualdades sociais. 

“Como dizia Ariano Suassuna, que se via como um realista sonhador, já que ele dizia que o pessimista era um chato e o otimista, um tolo, eu também me vejo assim, como um realista sonhador, pois a tarefa de mudar essa situação grave de desigualdade é muito difícil. E alguns diriam, impossível. Mas continuo sonhando e lutando por este ideal, que somente será alcançado com a união de todos: poder público e a sociedade civil.” 

Ao saudar o mais novo desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, o presidente Henrique Carlos de Andrade Figueira lembrou a emoção que sentiu quando tomou posse no mesmo cargo. 

“A mesma emoção que o Alexandre sente, hoje, eu senti há 20 anos, quando tomei posse como desembargador, quando tive a ventura de ter como padrinho o desembargador Marcos Faver, que tinha acabado de deixar a presidência do Tribunal, de quem eu fui juiz auxiliar. É indescritível. O Alexandre tem todos os méritos de estar aqui ao nosso lado. Ele foi um juiz auxiliar que tem uma característica que procurei implementar como norte na administração do Tribunal de Justiça, que é o cuidado com o lado pessoal. ” 

Henrique Figueira destacou, ainda,  a preocupação social do desembargador Alexandre, lembrando a época em que, atuando na Vara da Infância, da Juventude e do Idoso de Petrópolis, montou cursos de cabelereiro, manicure e de padeiro com o objetivo de oferecer formação para jovens que estava sem perspectivas de inserção no mercado de trabalho.  O presidente do TJRJ também elogiou sua atuação no auxílio às vítimas das chuvas que assolaram Petrópolis em fevereiro último. 

“E o caráter e humanismo do desembargador Alexandre, mais uma vez afloraram em fevereiro deste ano, quando Petrópolis foi atingida por uma catástrofe, em razão das chuvas. Alexandre foi para lá e ficou direto, durante duas semanas, ajudando no reconhecimento dos corpos e na regularização dos óbitos e dando apoio aos sobreviventes. Isso dá orgulho para todos nós, ver um juiz de Direito fazendo um trabalho de tamanha relevância e significado social durante todo o período em que vem atuando na magistratura." 

Em saudação ao novo colega em nome do Tribunal de Justiça, o desembargador Luiz Felipe Miranda de Medeiros Francisco elogiou a trajetória do magistrado.

“O TJRJ tem hoje a honra de recebê-lo como o seu mais novo representante. Alexandre foi sempre atuante e destacado membro desta Casa, ainda como juiz de Direito, tendo exercido suas atividades profissionais com denodo e dedicação, laborando sempre pelo engrandecimento da Justiça em todos os seus segmentos sociais. A retidão de sua conduta, assim como sua atuação profissional, certamente servirão para viabilizar com sucesso a nova etapa da sua vida."

Trajetória

Nascido na cidade de Petrópolis no dia 14 de dezembro de 1965, Alexandre Teixeira de Souza  formou-se em 1992 na Faculdade de Direito da Universidade Católica de Petrópolis. Ingressou na magistratura em janeiro de 1998. 

Como juiz, atuou na Vara da Infância, da Juventude e do Idoso em várias comarcas do estado, como Paraíba do Sul, Volta Redonda e Petrópolis 

Foi juiz diretor do Fórum de Petrópolis, juiz coordenador do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) da Comarca de Petrópolis, integrante da Turma Recursal dos Juizados de Fazenda Pública da Capital, juiz dirigente do 3º Núcleo Regional da Corregedoria Geral da Justiça. 

Integrou o Conselho Consultivo da Escola de Administração Judiciária (Esaj),  Comissão de Articulação de Programas Sociais (Coaps), Comissão Estadual Judiciária de Adoção Internacional (Cejai),  Coordenadoria Judiciária de Articulação das Varas da Infância, da Juventude e do Idoso (Cevij), e o Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário do Estado do Rio de Janeiro (GMF). 

Atualmente, atuava como juiz auxiliar da presidência do TJRJ.

JM/FS

Foto: Felipe Cavalcanti/TJRJ