Sindjustiça-RJ agradece presidente do TJRJ por assinatura de ato que beneficia de imediato cerca de 2 mil servidores
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 27/11/2020 18:14

O diretor-geral do Sindjustiça-RJ, José Carlos Arruda, esteve, na tarde desta sexta-feira (27/11), no gabinete do Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, desembargador Claudio de Mello Tavares, a quem agradeceu por ter assinado um Ato descongelando as progressões ou promoções funcionais, em conformidade com a Lei 8.627/2019, sancionada em 19 de novembro de 2019 pelo governo do estado. Essa lei permite a promoção ou progressão funcional entre os padrões remuneratórios dos servidores do Judiciário a cada dois anos, desde que obedecidas algumas regras como a de capacitação.

A nova lei, que alterou a Lei 4.620/2005, foi aprovada por unanimidade pelo Órgão Especial, em outubro do ano passado, e por maioria na Alerj, no mês seguinte. O projeto de lei foi elaborado pelo próprio presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, que se empenhou pela sua rápida aprovação.

O ato assinado nesta quinta pelo desembargador Claudio de Mello Tavares beneficia, de imediato, cerca de dois mil servidores:

- A atual administração do Sindjustiça-RJ reconhece o esforço feito pelo desembargador Claudio de Mello Tavares em prol dos servidores. Já em dezembro, serão pagas as promoções referentes aos meses de junho a novembro. As de dezembro, sairão na folha de janeiro – disse Arruda.

O presidente do TJRJ reiterou os elogios que tem feito aos servidores pela dedicação e comprometimento com o Tribunal, especialmente em um ano tão atípico como 2020, com o surgimento da Covid-19:

- Precisávamos fazer algo pelos servidores. Perdemos muitos bons funcionários para outros órgãos por que eles, depois de capacitados, saiam em busca de melhores salários em locais onde podiam progredir na carreira. Estou feliz por ter apresentado esse projeto de lei, que não representará mais gastos nem vai onerar a população. Extinguimos cargos e vamos honrar a folha com o próprio duodécimo que recebemos – disse o presidente.