Semana do CCMJ terá poesia, clube de leitura e entrevista
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 19/02/2021 21:43

A próxima semana traz novas atrações virtuais para o público no Museu da Justiça- Centro Cultural do Poder Judiciário (CCMJ). A partir do dia 21, a programação inclui sarau de poesia, exibição de entrevista e clube de leitura sobre o livro vencedor do Prêmio Jabuti 2020. Todas as atividades são gratuitas e abertas ao público. 

No domingo, dia 21, o programa História Oral exibirá, no canal oficial do Poder Judiciário fluminense no YouTube, uma entrevista realizada em 1998 com o desembargador Jorge Fernando Loretti. Na segunda-feira (22/02), será o dia do encontro virtual do clube “Leituras no Palácio”. Na oportunidade, os participantes conversarão sobre o livro vencedor do Prêmio Jabuti 2020, Torto Arado, de Itamar Vieira Junior. Na  quinta-feira (25/02), acontecerá o programa “Conversas: reflexões e ações no enfrentamento à violência contra a mulher”, com o tema: “Assédios e carnaval”, a partir das 17h. E, na sexta (26/02), o CCMJ apresenta a sexta edição do “Sarau das Musas- homenagem a Marcus Vinícius Quiroga”. 

Veja mais informações sobre a programação e como acessar a programação: 

CCMJ | HISTÓRIA ORAL

Entrevistado: Des. Jorge Fernando Loretti

 

 

Nascido em 25 de agosto de 1924, na cidade do Rio de Janeiro, o Des. Jorge Fernando Loretti discorreu em sua entrevista sobre o interesse pelo Direito, e as relações entre o Poder Executivo e a Magistratura, especialmente sob a ótica de um chefe de gabinete de dois governadores. Relatou a sua vivência à época da transferência da Capital Federal para Brasília (1960), e do Golpe de 1964, que impactou a cúpula do Executivo fluminense. Teceu comentários sobre a Lei Orgânica da Magistratura e a mudança em sua atividade profissional de forma repentina, de advogado a juiz. Relembrou momentos que o marcaram enquanto Presidente do TJRJ, tendo também comentado sobre a Justiça Eleitoral, entre outros assuntos que podem ser conferidos no vídeo. Aposentou-se em 26 de agosto de 1994, vindo a falecer em 13 de maio de 2016.

O Programa de História Oral do Poder Judiciário nasceu de um projeto criado em 1998, pelo desembargador Luiz César de Aguiar Bittencourt Silva (1925-2011), que compunha o Colegiado Dirigente do Museu da Justiça. O objetivo do Programa, ao longo de 23 anos, é o de resgatar, preservar e divulgar a História recente do Poder Judiciário através do testemunho de seus próprios agentes. Atualmente o programa é coordenado pelo desembargador Ronald dos Santos Valladares, membro da Comissão de Preservação da Memória Judiciária. Os sumários dos depoimentos são disponibilizados aos públicos interno e externos na página do CCMJ, no portal do TJRJ, e a íntegra (transcrita ou em formato audiovisual) é acessada por meio de solicitação ao SEATA através do correio eletrônico “ccmj.seata@tjrj.jus.br”.

 

Estreia 21 de fevereiro, domingo

Para assistir, acesse: https://www.youtube.com/pjerjoficial/videos

Classificação indicativa: livre

 

CCMJ | HISTÓRIA ORAL

Entrevistado: Des. Jorge Fernando Loretti

 

Nascido em 25 de agosto de 1924, na cidade do Rio de Janeiro, o Des. Jorge Fernando Loretti discorreu em sua entrevista sobre o interesse pelo Direito, e as relações entre o Poder Executivo e a Magistratura, especialmente sob a ótica de um chefe de gabinete de dois governadores. Relatou a sua vivência à época da transferência da Capital Federal para Brasília (1960), e do Golpe de 1964, que impactou a cúpula do Executivo fluminense. Teceu comentários sobre a Lei Orgânica da Magistratura e a mudança em sua atividade profissional de forma repentina, de advogado a juiz. Relembrou momentos que o marcaram enquanto Presidente do TJRJ, tendo também comentado sobre a Justiça Eleitoral, entre outros assuntos que podem ser conferidos no vídeo. Aposentou-se em 26 de agosto de 1994, vindo a falecer em 13 de maio de 2016.

 

O Programa de História Oral do Poder Judiciário nasceu de um projeto criado em 1998, pelo desembargador Luiz César de Aguiar Bittencourt Silva (1925-2011), que compunha o Colegiado Dirigente do Museu da Justiça. O objetivo do Programa, ao longo de 23 anos, é o de resgatar, preservar e divulgar a História recente do Poder Judiciário através do testemunho de seus próprios agentes. Atualmente o programa é coordenado pelo desembargador Ronald dos Santos Valladares, membro da Comissão de Preservação da Memória Judiciária. Os sumários dos depoimentos são disponibilizados aos públicos interno e externos na página do CCMJ, no portal do TJRJ, e a íntegra (transcrita ou em formato audiovisual) é acessada por meio de solicitação ao SEATA através do correio eletrônico “ccmj.seata@tjrj.jus.br”.

 

Estreia 21 de fevereiro, domingo

Para assistir, acesse: https://www.youtube.com/pjerjoficial/videos

Classificação indicativa: livre

 

CCMJ | CONVERSAS

Reflexões e ações no enfrentamento à violência

O Museu da Justiça – Centro Cultural do Poder Judiciário (CCMJ) apresenta o programa “Conversas: Reflexões e ações no enfrentamento à violência contra a mulher” como um espaço que possibilite a discussão, a aproximação e a sensibilização das pessoas, através de encontros com apresentações lúdicas e conteúdos didáticos, de temas voltados para a violência contra a mulher.

Este tipo de violência é um fenômeno complexo e merece ser compreendido a partir de múltiplos fatores que envolvam seu surgimento. A violência contra a mulher não é recente e acontece em todas as classes sociais, trazendo danos físicos e psicológicos para a família afetada.

Nesse encontro convidamos todas as pessoas para refletirem sobre uma das maiores festas populares do mundo, o Carnaval, e que traz junto com ele um período de grande incidência de assédios de todos os tipos; um convite ao pensamento crítico sobre os temas que envolvem esses eventos e o papel da mulher enquanto símbolo de desejo, desrespeito e alegoria.

“Conversas” é realizado com o apoio da equipe do Educativo do CCMJ e com a colaboração e mediação da psicóloga Maria Augusta Fischer, psicóloga clínica e jurídica, especialista em violência contra a mulher, coordenadora do grupo de reflexão com mulheres em situação de violência no CIAM Marcia Lyra. No programa do dia 25, que tem como tema "Assédios e Carnaval", contaremos com a participação de Renáta Corádo - fundadora e diretora do bloco "Quem num guenta bebe água" que desfila no bairro Laranjeiras desde 2003 e é integrante de bateria de escola de samba por 19 anos, e de Alice Pereira - baixista e tubista de diversos blocos de carnaval e bandas, quadrinista e autora da página "Pequenas Felicidades Trans", cujo livro foi lançado em 2019.

 

25 de fevereiro, quinta-feira, às 17h.

Para participar, acesse: https://bit.ly/ccmjconversas

Participação franca | Informações por e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br

Classificação indicativa: a partir de 14 anos

 

CCMJ | DO DIREITO À LITERATURA

Sarau das Musas – Homenagem a Marcus Vinicius Quiroga

“não se esvazia a história,/ como papéis de uma cesta./ um poema nos traz para fora,/ nos põe na estrada outra vez./ (...) /” não se esvazia a história/ nas naturezas nem nas leis./ um poema não é para goles,/ mas para a embriaguez.” “Para Dioniso”, do livro Autoestrada para Tebas, de Marcus Vinicius Quiroga.

O Museu da Justiça - Centro Cultural do Poder Judiciário (CCMJ), com o intuito de promover a leitura de poesia, realizará a 6ª Edição do Sarau das Musas – Homenagem a Marcus Vinicius Quiroga, em formato virtual, no dia 26 de fevereiro, às 17h, como mais um dos desdobramentos do programa Do Direito à Literatura – Encontros Literários Interdisciplinares, série de ações que têm como objetivo buscar aproximações entre o Direito e as demais Humanidades.

Nesta edição, o Sarau das Musas homenageará o poeta Marcus Vinicius Quiroga, uma das vozes de destaque no cenário literário nacional, tristemente emudecida pela pandemia da Covid-19, no ano de 2020. O encontro, que consistirá em uma conversa entremeada por comentários literários e depoimentos pessoais, e, claro, pela leitura de poemas do autor de O xadrez e as palavras, contará com a presença dos convidados Ana Margarida Mignone, Augusto Sérgio Bastos, Eduardo Tornaghi e Ricardo Vieira Lima.

Além de conversar com os convidados, todos os participantes poderão ler poemas de autoria do homenageado ou seus, desde que, preferencialmente, dialoguem com a poética ou com temas da poesia quiroguiana.

O Sarau das Musas deseja realçar a noção do museu como casa das musas (as entidades às quais, na Antiguidade Clássica, era atribuída a capacidade de inspirar a criação artística), e pretende resgatar a história e atualizar a forma das tradicionais reuniões literárias e musicais cariocas, em particular, e brasileira, em geral, tão ao gosto da Belle Époque e do Rio antigo, em que os apreciadores de poesia e música se reuniam para dizer e ouvir poemas e canções de sua preferência.

O evento conta com o apoio da equipe do Educativo do CCMJ e da coordenação do poeta W. B. Lemos, Doutor em Literatura Comparada e integrante do corpo de instrutores da Escola de Administração Judiciária (ESAJ).

Atenção: atividade não registrada para pontuação como atividade de capacitação da ESAJ.

26 de fevereiro, sexta-feira, às 17h

Para participar, acesse: https://bit.ly/ccmj_saraudasmusas

O acesso à sala estará disponível a partir das 16h45min no dia do evento

Participação franca | Informações por e-mail ccmj.educativo@tjrj.jus.br.

Classificação indicativa: a partir de 12 anos