Museu da Justiça recebe doação de acervo da Santa Casa
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 04/07/2023 21:37

Da esquerda pra direita: desembargadora Daniela Brandão Ferreira, presidente da CEVIJ; desembargador Ricardo Cardozo, presidente do TJRJ; e Dr. Francisco Horta, provedor da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro

 

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), desembargador Ricardo Rodrigues Cardozo, e o provedor da Santa Casa de Misericórdia, Francisco Horta, assinaram protocolo para doação, ao Museu da Justiça, de parte do acervo referente a crianças e adolescentes acolhidos no Educandário Romão Mattos Duarte. Também foi doada a “Roda dos Expostos” original, mecanismo de madeira onde eram colocados os bebês entregues para a instituição de caridade no passado. A solenidade de assinatura foi realizada, na tarde desta terça-feira (4/7), no Salão Nobre do Fórum Central.  

O material cedido inclui, também, documentos e livros com informações sobre entrada de crianças, falecimentos e amas de leite, sendo esse último datado do ano de 1856. Em sua fala, o presidente do TJRJ se comprometeu a conservar e preservar o acervo doado. Ele também destacou que Francisco Horta foi magistrado do tribunal.  

“É uma grande satisfação receber o senhor. A essência de Francisco Horta é ser juiz. Ele é um referencial para os magistrados. Sempre falou com a sociedade. E, assim, se tornou presidente do Fluminense e, posteriormente, político. Que Deus nos permita chegar nessa faixa etária com essa disposição. O senhor continua sendo um visionário”, declarou.  

O provedor da Santa Casa, Francisco Horta, relembrou seus tempos como juiz do TJRJ. Ele ingressou na Magistratura em 1958, após passar em 5º lugar no concurso público.  

“Sou do tempo em que havia apenas 36 desembargadores neste tribunal, e três prédios. Comecei na 3ª Vara de Fazenda Pública. Sinto-me muito honrado em pertencer a esse tribunal e tenho certeza que o Museu da Justiça será cada vez mais visitado”.  

MG/MB

Fotos: Felipe Cavalcanti / TJRJ